Entidades do varejo criam plataforma com vagas de empregos para população

Objetivo é garantir recolocação aos profissionais afetados por crise gerada pelo novo coronavírus

Em um movimento pioneiro no país, 29 entidades ligadas ao varejo uniram-se para desenvolver uma plataforma online de geração de empregos no setor. Com a iniciativa, intitulada Vagas no Varejo, o segmento espera minimizar os impactos provocados pelo novo coronavírus, ao garantir a recolocação de profissionais no mercado de trabalho e preservar a atividade empresarial. As entidades projetam 4.000 empregos inicialmente.

O lançamento oficial acontecerá em uma data emblemática: 1º de maio, Dia do Trabalho. Segundo indicadores do Ibre/FGV, a crise pode deixar até 12,6 milhões de pessoas desempregadas e contrair em cerca de 15% a renda dos trabalhadores. A Febrafar é uma das associações participantes e está trabalhando para a disponibilização de vagas de suas 57 redes. A ação recebeu o apoio voluntário da Tegra Sistemas, responsável pela concepção da plataforma; e da Advance, que elaborou o projeto de marketing e comunicação visual.

O aplicativo Vagas no Varejo estará disponível em todas as plataformas móveis, exigindo inicialmente a conexão com a rede social ou e-mail. A ideia é estabelecer uma conexão simples e autodidática, sem as dificuldades impostas por canais tradicionais de empregos. Ao ter a conta criada, o profissional precisa somente destacar sua área de atuação, experiências anteriores e disponibilidade de horários, podendo também inserir seu currículo. As entrevistas e avaliações serão realizadas online.

As empresas interessadas em recrutar profissionais também terão uma área exclusiva no portal http://www.vagasnovarejo.com.br, no qual poderão cadastrar suas oportunidades. Elas serão responsáveis por excluir as vagas que forem preenchidas e assinarão um termo no qual se comprometem a não utilizar as informações dos candidatos para qualquer outra finalidade, como venda de produtos ou serviços.

"A Febrafar está muito preocupada com o momento vivido pelo país e pela população, além da crise de saúde, vivemos também uma crise no trabalho sem precedentes. Nosso comprometimento com esse projeto é uma forma de possibilitar oportunidades para as pessoas e também simplificar o trabalho de recrutamento das redes em um momento em que o deslocamento das pessoas precisa ser o menor possível. Assim, com certeza essa ferramenta será uma grande aliada", explica o presidente da Febrafar, Edison Tamascia.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia