Em live, Anitta bate boca com deputado sobre direitos autorais





Proposta do deputado Felipe Carreras (PSB-PE) diminui de 10% para 5% o percentual do valor que os empresários de eventos arcam com direitos autorais


A cantora Anitta e o deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE) bateram boca por causa de uma emenda à Medida Provisória n° 948, de 2020. Segundo a proposta do parlamentar, cai de 10% para 5% o percentual do valor que os empresários de eventos arcam com direitos autorais – o dinheiro do cachê dos artistas vai para o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição).

“Eu não encaro como se você estivesse do nosso lado (os artistas). Porque assim, como eu te falei, esse é um momento que não condiz, principalmente na MP 948, que é uma MP de urgência, que é sobre a toda a dificuldade que todas essas pessoas estão passando nesse momento de coronavírus… Usar essa MP de urgência para colocar essa questão de direito autoral, é uma coisa que não faz muito… Que não é o momento”, rebateu.

A artista continuou suas críticas. “Para mim, só é diálogo quando a gente tem a opção antes de a coisa ser feita. Se a gente não tivesse sempre fiscalizando e vendo o que tá rolando, a gente não ia ter a oportunidade de lutar para reivindicar isso”, afirmou.

Depois ela terminou a live. “Agradeço demais a sua disponibilidade de tempo…”, mas foi interrompida por Carreras.

“Em primeiro lugar, estou à disposição do diálogo. Em segundo lugar, eu falei com a representante do Ecad que tem a outorga, que fala por vocês, porque eu não consigo falar com todo mundo. Com você eu posso falar amanhã, depois, com outros artistas, estou à disposição. Estou à disposição do diálogo, estou do lado de vocês…”, disse ele. 

A cantora Anitta e o deputado federal Felipe Carreras (PSB-PE) bateram boca por causa de uma emenda à Medida Provisória n° 948, de 2020. Segundo a proposta do parlamentar, cai de 10% para 5% o percentual do valor que os empresários de eventos arcam com direitos autorais – o dinheiro do cachê dos artistas vai para o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição).

“Eu não encaro como se você estivesse do nosso lado (os artistas). Porque assim, como eu te falei, esse é um momento que não condiz, principalmente na MP 948, que é uma MP de urgência, que é sobre a toda a dificuldade que todas essas pessoas estão passando nesse momento de coronavírus… Usar essa MP de urgência para colocar essa questão de direito autoral, é uma coisa que não faz muito… Que não é o momento”, rebateu.

A artista continuou suas críticas. “Para mim, só é diálogo quando a gente tem a opção antes de a coisa ser feita. Se a gente não tivesse sempre fiscalizando e vendo o que tá rolando, a gente não ia ter a oportunidade de lutar para reivindicar isso”, afirmou.

Depois ela terminou a live. “Agradeço demais a sua disponibilidade de tempo…”, mas foi interrompida por Carreras.

“Em primeiro lugar, estou à disposição do diálogo. Em segundo lugar, eu falei com a representante do Ecad que tem a outorga, que fala por vocês, porque eu não consigo falar com todo mundo. Com você eu posso falar amanhã, depois, com outros artistas, estou à disposição. Estou à disposição do diálogo, estou do lado de vocês…”, disse ele.

A artista retrucou. “Eu não acho que você esteja, e essa é uma coisa que a gente não vai concordar, e a gente não vai acabar esse debate jamais. Então, obrigada pelo seu tempo, a gente continua aí lutando, você puxa daí, a gente puxa daqui, e vamos ver o que acontece”, disse a cantora, contrariada.
Compartilhe on Google Plus

Postado por silvioromerojornalista

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia