Brasil já começa a entregar os primeiros respiradores de produção nacional



Mais de 15 instituições brasileiras vão apoiar nas entregas dos equipamentos respiratório


Repórter Alexandre Penido

Estados e municípios começam a receber os primeiros respiradores produzidos no Brasil ainda nesta semana.

Neste primeiro momento, serão beneficiados os locais que estão em situação mais grave da doença e necessitam com urgência dos equipamentos para tratar pacientes e habilitar leitos de UTI. Os ventiladores são equipamentos fundamentais no tratamento de casos graves da Covid-19. Eles ajudam pacientes que apresentam dificuldades respiratórias e que não conseguem respirar sozinhos. 
Até o final deste mês o Governo Federal, por intermédio do Ministério da Saúde deve entregar 272 respiradores produzidos no Brasil. O ministério recentemente assinou contrato com grupo de empresas brasileiras para a produção de 14.100 respiradores mecânicos. Atualmente, o Brasil conta com 65.411 respiradores/ventiladores, sendo que 46.663 estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). 
O novo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Eduardo Pazuello, destaca a distribuição dos equipamentos e outros itens de saúde para o combate o coronavírus.
“Essa semana nós estamos distribuindo em torno de 185 respiradores para aqueles estados e municípios mais afetados. Serão entregues novos kits de EPIs para os estados mais afetados. Contratamos recursos humanos pelo Ministério da Saúde para reforçar as equipes de saúde que estão combatendo nesses estados e municípios também”. 
O secretário executivo, Eduardo Pazuello, ressalta ainda importância de focar nos locais em situação de emergência. Além disso, ele relata outras medidas do Ministério da Saúde neste período da pandemia, como a distribuição da vacina contra a gripe. 
“Além disso, vacinas de H1N1, testes rápidos, testes PCR, que são os dois tipos de testes que existem. Tudo isso está acontecendo simultaneamente.  O Ministério da saúde vem se preparando e adquirindo esse material no mercado. E vem recebendo. Estamos continuando com a distribuição, agora focada, exatamente aonde está pior. Não apenas uma distribuição linear”.
Para a aquisição dos respiradores o Ministério da Saúde em parceria com o Ministério da Economia realizou um mapeamento do parque industrial brasileiro. O objetivo foi identificar a capacidade de cada setor. O estudo apontou que as empresas tinham escala pequena de produção, no entanto, tinham expertise para contribuir e expandir as entregas em um menor tempo.
Para mais informações sobre a Covid-19, acesse coronavirus.saude.gov.br 

Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia