Museu do Louvre terá exposição sobre Padre Cícero



Padre Cícero deve ganhar exposição em um dos principais museus do mundo, a partir de outubro. O Museu do Louvre contará com algumas peças que representam o “Padim” e a cultura nordestina, em coletânea organizada pelo produtor cultural e jornalista, Marcelo Fraga. Será uma homenagem aos 150 anos do sacerdócio de Padre Cícero.

Neste mesmo período, o curador da exposição ainda será contemplado com uma condecoração na Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture, em Paris, que já premiou artistas como Mestre Sacaca, Milton Nascimento, Cauby Peixoto, entre outros.

Coleção de itens expostos no Louvre terá uma escrivaninha que pertenceu ao Padre Cícero e seu título de eleitor.

Coleção de itens expostos no Louvre terá uma escrivaninha que pertenceu ao Padre Cícero e seu título de eleitor — Foto: Marcelo Fraga/Arquivo pessoal

O padre Cícero será tema de uma exposição no Museu do Louvre, em Paris, um dos mais importantes do mundo, em outubro. Ainda sem data definida, a mostra terá uma semana de duração e exibirá quatro artefatos do sacerdote, aclamado como santo popular do Nordeste e fundador de Juazeiro do Norte.

A iniciativa é do jornalista e produtor cultural Marcelo Fraga, que será condecorado pela Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture, em 24 de outubro, e aproveita a oportunidade para expor objetos pessoais do “padrinho”, como é chamado pelos romeiros.

A coleção terá uma escrivaninha que pertenceu ao padre Cícero e seu título de eleitor, que ainda está preservado. Outro importante item do acervo é uma escultura de madeira de 15 centímetros do padre feita pelo artesão Mestre Noza, falecido em 1983, e que batiza o Centro de Cultura Popular Mestre Noza, em Juazeiro do Norte.

Itens que pertenceram a padre Cícero estarão em exposição em um dos museus mais importantes do mundo, o Louvre, em Paris — Foto: Marcelo Fraga/Arquivo pessoal

O convite para a exposição partiu da jornalista brasileira Diva Pavesi, que mora há 35 anos na França e preside a Divine Académie, na capital francesa. Os dois tiveram contato no Rio de Janeiro, onde Marcelo realiza exposições e eventos sobre o padre Cícero e a cultura nordestina.

“Quero levar o Padre Cícero porque ele é pai de tudo. Ele está no meio ambiente, na economia criativa e deu o pontapé a Juazeiro”, afirma Marcelo.

Natural do estado do Paraná, Marcelo visitou Juazeiro do Norte pela primeira vez há 20 anos. Dois anos depois, adquiriu parte dos objetos pessoais do sacerdote que eram mantidos pela professora Generosa Alencar, órfã criada pelo padre Cícero. Após sua morte, o material ficou com a escritora Fátima Menezes, que o vendeu. “Comprei todo o acervo e comecei a fazer exposições”, lembra.

Alguns destes itens foram expostos em unidades do Sesc no Rio de Janeiro por dois anos e visitados por aproximadamente 150 mil pessoas. A exposição abordava temas como meio ambiente, religiosidade, economia criativa do Nordeste e artesanato.
Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia