Mais de 4 milhões de pessoas foram impactadas com atrasos e cancelamentos de voos

Emirates  mais pontual 

Mais de 4 milhões de pessoas foram impactadas com atrasos e cancelamentos de voos durante a última temporada de férias, segundo pesquisa da AirHelp


*A AirHelp examinou mais 150 mil voos partindo dos aeroportos brasileiros, no período de 15 de dezembro de 2018 a 15 de fevereiro de 2019

*Apenas 5% dos brasileiros que viajam de avião conhecem seus direitos em caso de atrasos ou cancelamentos

*Entenda mais sobre as companhias menos pontuais e os direitos em caso de problemas com voos

A AirHelp, organização mundial especializada em direitos de passageiros aéreos, analisou o desempenho das principais companhias aéreas que atuaram no Brasil, no período de 15 de dezembro de 2018 a 15 de fevereiro de 2019.

A AirHelp examinou mais de 150 mil voos, partindo dos aeroportos brasileiros e observou que em torno de 20% deles sofreram atrasos de mais de 15 minutos ou foram cancelados, impactando quase 4 milhões de passageiros, sendo que mais de 180 mil passageiros tiveram voos cancelados.

A companhia aérea que mais desrespeitou passageiros foi a Gol. A empresa teve mais de 12 mil voos decolados após o horário previsto ou cancelado, o que impactou mais de 1,7 milhões de pessoas. Na sequência, estão a Azul, com mais de 750 mil passageiros, a Latam, com mais de 660 mil e Avianca; mais de 400 mil pessoas frustradas.

Outra empresa que merece atenção é a Qatar Airways. Apesar de ter sido eleita a melhor companhia aérea do mundo no World Airline Awards, a cada dez voos previstos, quatro deles registram problemas. Já as duas companhias mais pontuais foram a Emirates (7,5%) e a Copa, com apenas 5% de voos atrasados ou cancelados.

Vejam o ranking das companhias com maior número de pessoas impactadas por atrasos e cancelamento de voos


Todos os brasileiros que viajam dentro ou fora do país estão protegidos em caso de atrasos, cancelamentos e overbooking. Apesar do alto número de passageiros desrespeitados pelas companhias aéreas, 95% dos brasileiros que viajam de avião não conhecem seus direitos em casos de atraso ou cancelamento de voos, segundo pesquisa YouGov, encomendada pela AirHelp recentemente. Portanto, a grande maioria, não sabe como reagir ou reivindicar seus direitos. A pesquisa YouGov também apontou as três principais razões que impedem os brasileiros de solicitar a recompensa, são elas: não saber como pedir o ressarcimento, a falta de conhecimento sobre os seus direitos e achar que o formulário de reclamação demanda muito tempo.
"Desejamos que todos os passageiros aéreos tenham ótimas experiências em seus voos. No entanto, com a alta temporada é importante estarem preparados para possíveis problemas, como atrasos e cancelamentos de voos. A AirHelp orienta todos os viajantes a conhecerem seus direitos e buscarem o tratamento correto em caso de incidentes", afirma Carolina Becker, especialista em direitos de passageiros da AirHelp.


Pontualidade nos aeroportos

O aeroporto com mais problemas em voos no período analisado foi o de Boa Vista, em Roraima; três a cada 10 voos que decolaram de lá sofrem algum problema, seja atraso ou cancelados. O resultado é proporcional ao número total e ao de atrasos e cancelamentos de voos. Já os dois aeroportos mais movimentados do Brasil, o internacional de Guarulhos e o de Congonhas, ocupam a 3ª e a 16ª posições, respectivamente.


Na mesma análise, a AirHelp também observou quais são as rotas aéreas que mais impactaram passageiros com atrasos e cancelamentos. o trecho Rio de Janeiro, aeroporto Santos Dumont, para São Paulo afetou mais de 85,6 mil pessoas no período de 15 de dezembro de 2018 a 15 de fevereiro de 2019. Em segundo lugar está o trecho contrário, de São Paulo para o Rio de Janeiro, com mais de 80,6 mil passageiros impactados.


Ainda segundo levantamento da AirHelp, a sexta-feira foi o dia com mais passageiros impactados com problemas de cancelamentos e atrasos. Já os melhores dias são terça e sábado e o melhor horário para voar é no período da manhã, das 6h às 12h.

Atrasos nos voos: o que fazer?

Os passageiros brasileiros estão protegidos por uma resolução da Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil (ANAC), que define claramente as responsabilidades das companhias aéreas em relação aos passageiros quando ocorrem atrasos, cancelamentos e overbooking.

Em uma viagem, nem tudo ocorre como esperado e atrasos ou cancelamentos de voos, infelizmente, podem acontecer. Mas isso não significa que você tenha que simplesmente aceitá-los. Por isso é tão importante saber os direitos e o que fazer para reivindicar uma indenização. Para apresentar uma reclamação e futuramente reivindicar sua indenização é preciso evidenciar e atestar as complicações no voo em questão.

Faça valer os seus direitos enquanto passageiro aéreo seguindo os seguintes conselhos:

Guarde o seu cartão de embarque ou qualquer outro documento que contenha o código de confirmação da reserva do seu voo; Garanta provas do atraso, seja por meio de fotos do quadro de partidas ou comunicações da companhia aérea; Solicite à companhia aérea refeições e, se necessário, estadia e transporte para um hotel — você tem direito à assistência gratuita; Guarde recibos de todos os gastos decorrentes do atraso do voo em questão, uma vez que você pode ser reembolsado se a companhia não cumprir com a sua obrigação de facilitar a comunicação e de prover refeições e alojamento; Não assine nem aceite nada que possa comprometer os seus direitos. Para buscar a indenização correspondente ao atraso ou cancelamento do voo, o passageiro pode contar com o apoio da AirHelp, empresa especialista em direitos de passageiros aéreos e mais bem-sucedida do mundo. A companhia já ajudou mais de 16 milhões de pessoas e está disponível em mais de 35 países.
O processo é rápido e simples. Basta o passageiro acessar o site da AirHelp e preencher um formulário com os dados do voo. Automaticamente o sistema informará sobre os direitos de indenização financeira e, na sequência, trará a confirmação sobre a elegibilidade, sem custo algum. Se o passageiro decidir levar a reivindicação adiante com a AirHelp, terá assistência operacional e jurídica. Após apresentar os documentos necessários, poderá relaxar e aguardar o resultado do processo.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia