Pesquisadores identificam pterossauro raro que viveu há 200 milhões de anos

(Crânio de Caelestiventus hanseni impresso em 3D - Imsgem: Nate Edwards/BYU/Direitos reservados)


Durante um estudo, os pesquisadores da Universidade Brigham Young, em Utah, nos Estados Unidos, identificaram um tipo raro de dinossauro capaz de voar e que viveu há cerca de 200 milhões de anos. A espécie de pterossauro, denominada Caelestiventus hanseni, tinha visão apurada e olfato pouco desenvolvido, segundo as análises. Os ossos da espécime foram localizados no nordeste de Utah.
Até a descoberta, havia apenas 30 espécimes conhecidos de pterossauro do Triássico – período geológico que se estende desde cerca de 250 a 200 milhões de anos atrás – e nenhum vivia em desertos. O Caelestiventus hanseni é anterior a todos os pterossauros do deserto, tendo habitado a terra 65 milhões de anos antes.
O paleontólogo Brooks Britt, principal autor do artigo publicado na revista Nature Ecology and Evolution, afirmou que a descoberta traz novos “insights sobre o início do pterosaus". "O pterossauros do Triássico são extraordinariamente raros", disse.

A descoberta foi feita durante vasta extração em meio a mais de 18 mil ossos, em uma pedreira em Utah, em que blocos de arenito são extraídos até que sejam cuidadosamente reduzidos no laboratório.
Os cientistas conseguiram identificar parte do rosto e o crânio completo, incluindo o cérebro, mandíbulas e a asa. Segundo Britt, boa parte dos ossos de pterossauro “parece de um animal atropelado".
De acordo com os pesquisadores, as análises do crânio mostram que mesmo os primeiros pterossauros tinham um olfato pouco desenvolvido ao contrário da visão, que era potente.
A equipe de Britt trabalha em parceria com Fabio Dalla Vecchia, especialista em pterossauros do Triássico associado ao Instituto Catalão de Paleontologia Miquel Crusafont em Sabadell, Espanha. Os pesquisadores também encontraram cinco esqueletos de crocodilos, que estavam em um bloco de arenito.

Compartilhe on Google Plus

Postado por Jefferson Victor

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia