Temer evita comentar segunda denúncia ao STF em primeira aparição pública

(Foto: Alan Santos/PR)
Na primeira aparição pública após ter sido denunciado pela segunda vez ao Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Michel Temer evitou falar sobre a acusação. Ele esteve na manhã desta sexta-feira (15) no Rio para inaugurar o centro de radiocirurgia do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer (IEC). 

O presidente chegou ao IEC por volta das 9h30. Abordado pelo repórter da GloboNews Murilo Salviano em relação à denúncia, Temer respondeu: "Em relação a quê? Ao hospital?". (assista ao vídeo acima). 

Durante o discurso, o presidente também não fez menção ao caso. Os repórteres não puderam entrar na sala onde ocorreu o pronunciamento – apenas fotógrafos e cinegrafistas foram autorizados –, e tiveram de acompanhar a fala por meio de um telão, em outro local. 

Após a cerimônia, Temer deixou o instituto sem falar com a imprensa, embora houvesse um púlpito preparado para tanto. Na segunda denúncia, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acusa Temer dos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Mas o Supremo Tribunal Federal (STF) só poderá analisá-la se a Câmara autorizar. 

A primeira denúncia, por corrupção passiva, foi rejeitada pelos deputados. Leia a íntegra da 2ª denúncia Outras oito pessoas são alvos da segunda denúncia, entre eles os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência da República. Há ainda dois ex-ministros, dois ex-deputados, um empresário e um executivo (saiba o que disseram os denunciados). 

De acordo com o procurador, os políticos denunciados (todos do PMDB) arrecadaram mais de R$ 587 milhões em propina, e Temer liderava a organização criminosa investigada. Veja os principais pontos da denúncia. 

Em nota, Temer afirmou que a denúncia de Janot é "recheada de absurdos".
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Equipe Redação

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia