Turismo depois dos 60



Segundo estudo do MTur, 59,9% dos brasileiros com mais de 60 anos que pretendem viajar nos próximos seis meses escolherão o Brasil.

A população idosa no Brasil está crescendo. Segundo relatório do Banco Mundial, em 2050 a estimativa é que 65 milhões de brasileiros tenham mais de 60 anos. Além de viver mais, os brasileiros estão vivendo melhor, com mais qualidade de vida e querendo conhecer cada vez mais os destinos turísticos brasileiros. Na semana que se celebra o Dia do Idoso - 01 de outubro - o Ministério do Turismo apresenta um perfil sobre o viajante acima de 60 anos e acaba de lançar a cartilha Dicas para atender bem turistas idosos.

Segundo o estudo Sondagem do Consumidor - Intenção de Viagem, do Ministério do Turismo, nos próximos seis meses, 25,4% dos brasileiros na faixa etária acima de 60 anos pretendem viajar. Deste total, a maioria (59,9%) informou que deverá optar por destinos domésticos. Na hora de fazer turismo, os viajantes com mais de 60 anos têm optado por fazer o passeio acompanhados (84%) e apenas 15% disseram que deverão fazer a próxima viagem sozinhos.

Ainda de acordo com o levantamento da Pasta, o avião continua sendo o principal meio de locomoção (76,3%), seguido de automóvel (16,8%) e ônibus (6,2%). Hotéis e pousadas (64,8%) são os meios de hospedagem favoritos, seguido da casa de parentes e amigos (27%).

O ministro interino do Turismo, Alberto Alves, reforça para a importância de estar atento a este público. “É uma parcela importante da sociedade brasileira que quer viajar cada vez mais e precisa encontrar uma estrutura de turismo atenta às suas necessidades. Para isso, o Ministério do Turismo acaba de lançar um guia voltado para melhorar a qualidade dos produtos e serviços turísticos oferecidos aos viajantes com mais de 60 anos ”, disse.

GUIA - Lançada na última quarta-feira (28) na 44ª edição da ABAV Expo Internacional de Turismo, em São Paulo, a cartilha Dicas para atender bem turistas idosos traz importantes dicas de como o setor turístico pode se adaptar as demandas deste perfil de viajante. A publicação feita em parceria com o Ministério da Justiça e Cidadania e o Conselho Nacional dos Direitos do Idoso teve a impressão de 19 mil exemplares que serão encaminhados para as secretarias estaduais de Turismo.

De acordo com o guia, o tratamento oferecido pelos prestadores de serviço deve ser amável, respeitoso e compreensivo para que estes viajantes sintam-se confortáveis durante a experiência turística. Além disso, os profissionais também devem estar atentos às necessidades especiais de cada viajante para oferecer o auxílio adequado durante as atividades turísticas.

O desenvolvimento da infraestrutura necessária para atender os turistas idosos também é descrito na cartilha. A adequação dos meios de hospedagem, restaurantes e atrações turísticas para este público abrange a sinalização com cores fortes, a implantação de barras horizontais para apoio em banheiros e a instalação de rampas e elevadores como alternativas às escadas do local.

Para atingir a acessibilidade ideal nos empreendimentos turísticos a este público, a cartilha retrata os pisos antiderrapantes, as vagas reservadas nos estacionamentos, os assentos e filas preferenciais como recursos fundamentais. A descrição completa dos itens de acessibilidade que devem compor a infraestrutura dos empreendimentos turísticos está presente na NBR 9050/2015, desenvolvida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Foto: David Rego Jr.
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia