“Amazônia Invisível” é tema do San Sebastian Gastronomika na Espanha

x

Chef Felipe Schaedler (Foto: Divulgação)

Considerado um dos maiores congressos de gastronomia do mundo, segundo a Forbes, a 18ª edição do San Sebastian Gastronomika- Euskadi Basque Country”, realizado de 3 a 5 de outubro no Palácio Kursaal de Donosti, na província espanhola de Guipúscoa, no País Basco, teve como um dos destaques a Amazônia.
Dois chefs brasileiros foram convidados especiais: Alex Atala e sua alta cozinha da Amazônia e Felipe Schaedler, 30 anos, que fez uma palestra sobre a “Amazônia Invisível”.
“É a primeira vez que o Amazonas foi representado no San Sebastian Gastronomika, o que é uma grande honra para mim. Espero que depois de palestra, as pessoas sintam vontade de vir conhecer Manaus”, afirmou Felipe.
Profissional da gastronomia há oito anos, Felipe Shaedler é proprietário do Restaurante Banzeiro — que completará sete anos de existência em dezembro —, ele é natural de Maravilha (SC), mas radicado na capital amazonense há 15 anos.

Apaixonado pela cultura e culinária locais, Schaedler faz parte de dois projetos: um de cultivo e um de extrativismo de cogumelo em parceria com índios. O objetivo é ter alternativas de alimentos não convencionais, como a vitória-régia.

A palestra de Felipe teve como base em uma reportagem do jornal A CRÍTICA, de Manaus, do dia 26 de agosto, sobre os alimentos intoxicados por causa do uso de agrotóxicos.

A reportagem denunciou o uso de agrotóxicos em alimentos produzidos nos arredores de Manaus.  O chef falou como isso afeta a vida das pessoas e quais as alternativas para que possamos consumir outras coisas e fugir desses produtos”, adiantou.
                                            Chef Alex Atala (Foto: divulgação)

Convidado para participar duas vezes como jurado da competição entre chefs no reality show, ele teve a companhia do também chef e restaurateur brasileiro Alex Atala, 48.

O catarinense e o paulistano foram os únicos profissionais das Américas (Latina, Central e do Norte) a participar do congresso espanhol. Também estiveram presentes os principais profissionais da Ásia, da África e da própria Europa.

“Normalmente, eles convidam chefs do mundo inteiro, mas dessa vez, de todas as Américas, eles convidaram somente o Brasil: Alex Atala e eu. Ano passado, esse congresso teve uma abrangência de mais de 30 milhões de pessoas, considerando todas as mídias”, enfatizou Felipe Schaedler.

“Na minha palestra falei sobre as ‘pancs’, plantas alimentícias não convencionais e os cogumelos que temos aqui. A ideia é mostrar uma alimentação alternativa, os problemas que temos aqui e como solucioná-los”, finalizou Felipe.
Alex Atala apresentou um prato que inclui sopa de piranha, que segundo o chef é um viagra natural.
Com o seu inovador restaurante D.O.M., Alex Atala tem colocado a cozinha brasileira no mapa gastronômico mundial.
Além dos brasileiros, outros 45 chefs de cozinha dos cincos continentes estiveram apresentando suas experiências. O Festival fez a entrega do VIII Prêmio Gueridón de Ouro e do IV Prêmio de Jornalismo Gastronômico.
Segundo a organização do evento, o Brasil representou todo o continente americano com “uma visão panorâmica de suas receitas exóticas explicadas por chefs visionários”.

Compartilhe on Google Plus

Postado por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia