“É preciso investir no marketing turístico do Piauí”, alerta presidente da ABAV


No maior evento latino-americano de turismo - ABAV Expo - as agências de viagens são uma só voz: o Piauí tem atrações até mesmo para o mercado exigente do exterior, no entanto, os pontos turísticos ainda são desconhecidos pelos viajantes. Em São Paulo, acontece a feira internacional do turismo e o Estado participa com estande e representantes de todos os setores. 


Jorge Leite, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV) do Piauí, ressaltou que o Estado precisa intensificar a campanha de divulgação dos pontos turísticos piauienses. 

“É preciso massificar os nossos pontos turísticos em campanha de marketing. Temos atrações que ainda são desconhecidas. No Estado já temos a BGK, pousadas e hotéis de destaques internacionais e falta à divulgação”, disse Jorge Leite.

Entre as trações turísticas está o Parque Nacional Serra da Capivara, a roda das emoções (Lençóis maranhenses, Delta do Parnaíba e Jericoacoara (CE)) e Parque Nacional Sete Cidades.

A diretoria da ABAV ressaltou que Teresina se destaca pelo turismo de negócio, existe também o polo do Delta, que inclui Parnaíba, Luís Correia, Sete Cidades, Pedro II e o polo das origens que agrega as regiões de São Raimundo Nonato, Floriano, Uruçui e Oeiras.

A 44ª ABAV acontece de 28 a 30 deste mês na Expo Center Norte e ultrapassa a marca de 24 mil inscritos em palestras, expositores e reuniões. A expectativa é de 12 mil visitantes somente no primeiro dia de evento. 

Bandeiras nacionais

O diretor executivo da Abav, Filomeno Montanha, lembrou que uma das principais reivindicações das agências ao governo federal é liberar os vistos como ocorreu como as Olimpíadas para atrair mais turistas.

Outro pedido do setor é chegar à zero o imposto de renda do turista. O valor chegou a 25% do serviço e caiu para 6%. 

“Queremos derrubar também a taxação de combustível para aviação. As empresas internacionais cobram 6%, já no Brasil é mais de 30%”.

Segundo Montanha a tributação do Brasil é a mais cara do mundo.

O setor reivindica também uma operação de capotagem para aliar trechos domésticos nacionais com rotas internacionais.

A direção lembrou ainda que foi criada a Câmara Setorial do Turismo que ajudar a desenvolver a cadeia turística e é composto por 22 entidades. 

Na abertura, participaram o ministro do turismo Alberto Alves, o presidente da ABAV nacional, Edmar Bull e a presidente da Braztoa, Madda Nassar.

Do Piauí, participa ainda Jorge Holanda, da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e Moacir Uchôa, presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e similares do Piauí. 

Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia