Telemedicina ganha relevância nacional no combate à Covid-19 e outras doenças



Com o objetivo de evitar aglomerações em hospitais e postos de saúde, além de reduzir a circulação de pessoas e a exposição ao coronavírus, em março o Ministério da Saúde publicou portaria que autoriza o uso de Telemedicina para atendimento de pacientes durante a emergência pelo novo coronavírus (Covid-19).


Repórter Janary Bastos Damacena


Com o objetivo de evitar aglomerações em hospitais e postos de saúde, além de reduzir a circulação de pessoas e a exposição ao coronavírus, em março o Ministério da Saúde publicou portaria que autoriza o uso de Telemedicina para atendimento de pacientes durante a emergência pelo novo coronavírus (Covid-19). Com esse tipo de atendimento médico à distância, a população brasileira não precisa sair de casa para receber diagnóstico e orientações sobre sinais e sintomas da doença. Com isso, o ministro da Saúde, Nelson Teich, destacou que uma das formas de atuação da Telemedicina é o TeleSUS, pelo telefone 136, que já está ajudando muitas pessoas por todo país. 

“Eu vejo a Telemedicina como uma ferramenta. Então, um dado importante que eu recebi agora é o de que atualmente 1,2 milhões de pessoas estão sendo monitoradas por ligações diárias. Ligações assim são uma parte, Telemedicina é um conjunto de situações, mas esse é um dado importante”. 

Por conta do volume de demandas e atendimentos do TeleSUS, o ministro da Saúde, Nelson Teich, acredita que é importante rever alguns processos para que essa ferramenta atenda melhor ao cidadão. 

“Como é que eu vejo a tecnologia: ela é bem usada ou mau usada. É óbvio que a Telemedicina, em algumas situações, vai ser útil. A Telemedicina te permitir desenvolver coisas futuras através dela. Como aproximar pessoas, permitir contato à distância, interação profissional, eu acho que vamos ter que rever uma melhor forma de usá-la. Isso precisa ser trabalhado [pelo Ministério da Saúde]”. 

O TeleSUS pode ser acessado ligando para o Disque Saúde 136; pelo Chatbot, disponível na página do Ministério da Saúde, ou baixando o aplicativo Coronavírus SUS gratuitamente, qualquer pessoa pode tirar dúvidas e até se consultar com um profissional de saúde. Entre as ações possíveis com essa estratégia, segundo a portaria, estão atendimento pré-clínico, suporte assistencial, consulta, monitoramento e diagnóstico. Essas medidas podem ser utilizadas pela rede pública e, também, pela rede privada. 

Para mais informações sobre a Covid-19, acesse coronavirus.saude.gov.br.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia