Grau de otimismo com o fim da pandemia é médio entre os brasileiros e 70% acreditam que as coisas voltarão ao normal em alguns meses

Levantamento feito pela ioasys analisou o comportamento e as mudanças de hábito dos brasileiros e o grau de confiança no futuro pós-pandemia


A ioasys, empresa especializada em transformação digital ágil, apresenta uma pesquisa inédita sobre as mudanças de hábitos de comportamento e consumo e o grau de otimismo dos brasileiros para o futuro pós-pandemia. Com a participação de mais de 1300 pessoas, o levantamento foi realizado com pessoas de 13 a 81 anos de todos os estados do Brasil e classes sociais.

O estudo apontou que 70% das pessoas acreditam que a situação voltará ao normal em alguns meses, enquanto menos de 1% acredita que será em dias, 12% que pode demorar anos e tem quem acredite que nada vai voltar ao normal (8,7%).

As formas tradicionais de trabalho também foram completamente modificadas, afinal, não estamos em home office, estamos em isolamento social. 72% responderam que estão trabalhando apenas em casa - antes da quarentena esse número era apenas de 9,1% - e 42% acreditam que sua produtividade diminuiu nesse período.

Isso se deve também ao fato de que a transformação digital já é há tempos um desafio conhecido de várias empresas. "A COVID-19, sem dúvida, acelerou este processo, mas é importante que as empresas que não estão digitalizadas ainda reflitam que a transformação digital é contínua e assim se manterá, acompanhando as tendências e inovações que vierem inclusive após a pandemia", comenta Raphael Felicio, diretor de design e marketing da ioasys.

Talvez por isso os cursos e as aulas online também tiveram um crescimento significativo nesse período: 12,7% dos entrevistados nunca haviam experimentado, mas agora utilizam esses serviços.

Novos hábitos

O levantamento mostrou ainda que a geração que mais está seguindo as recomendações do isolamento social é a dos Millennials (52,4%). No total, 92,4% dos respondentes afirmaram seguir as determinações pelo menos na maior parte do tempo.

68% das pessoas admitem que o nível de estresse emocional está maior durante a quarentena e, talvez por isso, novos costumes e rotinas estão surgindo a cada dia. Os brasileiros estão gastando, em média, três horas por dia com tarefas domésticas, como lavar roupa, louça e cozinhar. Conciliar essas atividades com o trabalho foi apontado como um dos maiores desafios pela maioria dos entrevistados.



A procura por notícias durante esse período também tem dividido opiniões. As pessoas têm passado, em média, duas horas por dia acompanhando notícias em jornais, revistas e plataformas digitais. 43,7% afirmam usar a internet para acompanhar informações especificamente sobre o novo coronavírus.

Transformação digital

Com o objetivo de mapear o cenário atual - principalmente com o avanço de tecnologias digitais -, as mudanças e as expectativas futuras dos brasileiros em relação à conjuntura político, econômica, social e cultural da pandemia causada pelo COVID-19, a ioasys analisou tendências de transformação digital. O estudo teve participação maioritária de mulheres (55%), sendo 59% dos participantes do Sudeste e 22% do Nordeste. 62% dos respondentes são das classes C, D ou E e quase 61% são millennials (21 a 35 anos). Para saber mais, acesse: http://ioasys.com.br/creative-legacy/.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia