Toyota ultrapassa a marca de 15 milhões de veículos híbridos vendidos no mundo




• Pioneira e líder em tecnologia híbrida, a Toyota iniciou essa trajetória com o lançamento do icônico Prius, em 1997, primeiro carro híbrido produzido em massa

• Atualmente oferecida em 44 modelos diferentes em todo o mundo, a tecnologia híbrida da Toyota reduziu as emissões de CO2 em mais de 120 milhões de toneladas nesses 23 anos

• Excelente na redução de emissões de CO2, a tecnologia híbrida da marca permite que os motoristas cubram mais de 50% de suas viagens pela cidade e ao redor dela no modo de emissão zero, que oferece uma maneira acessível de melhorar a qualidade do ar nos centros urbanos

• No Brasil, a marca é líder no segmento de veículos eletrificados, tendo respondido por 65% de todas as vendas em 2019

Corolla híbrido flex, primeiro do mundo a utilizar esta tecnologia


A Toyota ultrapassou a marca de mais de 15 milhões de veículos híbridos (HEVs) vendidos em todo o mundo desde o lançamento do Prius em 1997.

A decisão da empresa de desenvolver veículos híbridos começou há mais de 25 anos, quando Takeshi Uchiyamada liderou uma equipe para apresentar um carro para o século 21, que reduziria as emissões de gases de efeito estufa e outros poluentes nocivos. O Prius de primeira geração foi lançado em 1997 na época da assinatura do Protocolo de Kyoto, que deu um novo impulso ao movimento ambiental. Hoje, 15 milhões de híbridos vendidos depois, a Toyota deu uma contribuição significativa ao meio ambiente, pois sua tecnologia híbrida reduziu as emissões de CO2 em mais de 120 milhões de toneladas em todo o mundo até o momento se comparado com as vendas de veículos a gasolina equivalentes.

A visão original da empresa permitiu à Toyota ser líder no cumprimento de regulamentações de emissões cada vez mais rigorosas em todo o mundo. Atualmente, são 44 modelos híbridos das marcas Toyota e Lexus vendidos globalmente.

Durante esse período, a Toyota viu a demanda por seus veículos híbridos disparar à medida que combinou essa tecnologia inovadora com o design emocional possibilitado pelo lançamento de sua plataforma global TNGA. Além do atual sistema híbrido de quarta geração, a marca continua refinando sua tecnologia híbrida para obter emissões ainda mais baixas e eficiência de combustível cada vez melhor. Hoje, os modelos híbridos são mais convenientes e estão disponíveis em muitos países, incluindo o Brasil.

Caminho natural para BEVs e FCEVs

Embora a Toyota acredite que os HEVs são uma parte essencial da gama futura de veículos eletrificados, 20 anos de experiência em eletrificação também contribuem para a estratégia de diversificação de trens de força da empresa.

A Toyota fornece e continuará a fornecer vários tipos de veículos eletrificados para reduzir as emissões com base em regulamentações, infraestrutura de mercado e, finalmente, na demanda dos clientes. A marca não vê um cenário único nesse quesito, mas um futuro em que as diferentes tecnologias eletrificadas, incluindo veículos híbridos e plug-ins (PHEV), movidos a célula de combustível (FCEV) e bateria elétrica (BEV), fazem parte.

"Obviamente, precisamos trabalhar duro para melhorar o desempenho da bateria e reduzir os custos (de BEVs), o que estamos fazendo. Mas devemos ter um plano até superar os obstáculos relacionados aos BEVs e FCEVs. Enquanto isso, podemos contribuir nosso trabalho com os HEVs", afirma Shigeki Terashi, diretor da Toyota Motor Corporation.

Como resultado de sua longa experiência em veículos híbridos, a empresa possui amplo expertise em transferência das principais tecnologias de eletrificação, comuns em todos os tipos de propulsores desse segmento, colocando-os em primeiro lugar em um futuro eletrificado. Ao longo de duas décadas de desenvolvimento contínuo desses propulsores, baterias e unidades de controle de energia, a Toyota ensinou como gerenciar e reutilizar energia de maneira eficiente, fornecendo uma gama de opções eletrificadas para clientes Toyota e Lexus por meio de carros HEVs, PHEVs, BEVs e FCEVs.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia