Dez carros de rua que usam motores de F1 e são insanamente velozes


É muito comum ouvir dizer que a Fórmula 1 é um laboratório de tecnologia para as marcas. Mas você lembra quais os modelos que realmente têm DNA de F1 ?

É muito comum ouvirmos que a Fórmula 1 é um laboratório para as fabricantes desenvolverem tecnologia para as ruas.

Porém, estas tecnologias das pistas devem ir um tanto mais mansas para as ruas, não? Conheça dez casos de carros (protótipos ou não) que ganharam os motores brutos usados nas corridas.

Ferrari F50


Este modelo é considerado um dos mais próximos de um carro de F1 que a empresa italiana já colocou à venda.

Criado para comemorar os 50 anos da marca, era equipado com motor V12 4.6 de 520 cv – derivado do motor 460 que a escuderia deu aos pilotos Nigel Mansell e Gerhard Berger na temporada de 1989 da F1.

Ferrari Dino 206 GT


O caso da Ferrari é mais que especial, pois o sentido de compartilhamento foi inverso: o carro de rua forneceu o motor para modelos de competição. A Ferrari Dino tinha um V6 2.0 de 183 cv de potência que foi utilizado pelas Ferrari que competiam na Fórmula 2, em 1968.

Porsche Carrera GT


O Carrera GT é um dos principais exemplos quando se fala do compartilhamento de tecnologia entre carros de corrida e de rua.

A empresa desenvolveu um motor V12 para a equipe de F1, Footwork Arrows, em 1991 – que não teve muito sucesso e acabou substituído em sete corridas.

No entanto, a equipe não desistiu e resolveu desenvolver um V10 para a temporada seguinte. O novo propulsor não chegou a ser usado na F1, mas ganhou espaço em Le Mans no final dos anos 90.

E não só em Le Mans. O V10 de 5.7 litros e 620 cv passou a equipar também o Carrera GT em 2004.

Porsche 930 TAG Lanzante


E não foi só uma vez que a marca utilizou a tecnologia das pistas.

Em 2018, a marca resolveu equipar onze 930 Turbo com motor V6 TAG, usado pela McLaren na Fórmula 1 entre 1984 e 1987, conduzida por Niki Lauda, Alain Prost e Stefan Johansson.

O motor V6 biturbo de 1,5 litro gera mais de 800 cv de potência.

Mercedes–AMG One


Para comemorar as grandes vitórias da equipe Mercedes de Fórmula 1, a marca apresentou, em 2017, no Salão de Frankfurt (Alemanha), um hipercarro híbrido.

A tecnologia era a mesma utilizada nas pistas, com um motor a combustão auxiliado por motores elétricos.

O veículo era equipado com um V6 biturbo de 1.6 litro alinhado a quatro trens de força elétricos que batiam a marca de 1.000 cavalos de potência.

BMW M5 E60


Os motores BMW foram bem aproveitados na Fórmula 1 durante a primeira década deste século. Embora não tenham sido consagrados com um título, os propulsores foram homenageados de outra forma.

A empresa alemã passou a equipar os M5 com os motores de pista em uma configuração mais mansa.

No entanto, o V10 seguiu forte e gerava 507 cv de potência, dando ao modelo uma aceleração entre 0 a 100 km/h em 4,5 segundos, chegando a 250 km/h.

Alfa Romeo 164 ProCar


Na década de 1980, a empresa italiana resolveu montar um supercarro para competir na Fórmula S. A carroceria era toda do sedã 164, que ganhou um V10 com mais de 600 cv e acelerava de 0 a 100 km/h em 2,5 segundos.

fonte:
Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO PINHO

0 Comments:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia