Avião iraniano ligado a terrorismo aterrissa na Venezuela e viola quarentena

O Airbus A340-642, W5138, partiu do Irã em 22 de abril às 08:41 da manhã, depois pousou no aeroporto Simón Bolívar em Caracas e, mais tarde, em 23 de abril, voou para Paraguaná.

O curioso é que ele desembarcou em Paraguaná, no estado de Falcón, embora sua rota oficial seja Teerã-Caracas. O avião também pousou dias após o regime de Nicolás Maduro iniciar uma operação antidrogas incomum em Paraguaná.

O Airbus A340-642, W5138, partiu do Irã em 22 de abril às 08:41 da manhã e aterrissou no aeroporto Simón Bolívar em Caracas e, mais tarde, em 23 de abril, voou para Paraguaná.

Em 16 de dezembro de 2019, o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos sancionou a Companhia Aérea por sua conexão a uma rede de tráfico de armas que beneficia Grupos Terroristas.

Segundo as investigações, a Mahan Air é controlada pela Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC) e também é conhecida como Meio de Transporte de Armas. De fato, países como Alemanha e França proibiram seus vôos.

De acordo com o portal digital Israel News , a Companhia Aérea Iraniana "desempenha um papel essencial ao fornecer ao ditador sírio Bashar al-Assad mão de obra e armas para alimentar seu esforço de guerra".

Em 2018, "Farzin Nadimi, do Instituto de Política do Oriente próximo de Washington, avaliou que, durante um período de dois meses, o Transporte Aaéreo trouxe 21.000 pessoas e 5.000 toneladas de suprimentos de Guerra para Damasco".

Recorda o Portal Digital que, em setembro do ano passado, Israel enviou uma carta ao Secretário-Geral da ONU, acusando o Irã de usar aviões Mahan Air para contrabandear armas para o Grupo Terrorista Islâmico Hezbollah no Líbano.

Outros vôos suspeitos

Em 8 de abril, a Mahan Air lançou oficialmente seus vôos diretos entre Teerã e Caracas, em uma amostra das relações estreitas entre o Irã e a Venezuela.

Em 2015, a revista Veja publicou um relatório no qual assegura que o voo criado para cobrir a rota Caracas-Damasco-Teerã entre 2007 e 2010 foi usado para transportar dinheiro, armas, drogas e criminosos ilícitos solicitados pela Interpol.

Segundo testemunhos de ex-oficiais venezuelanos exilados nos Estados Unidos, o vôo operado em conjunto pelas Companhias Aéreas Estatais Conviasa, da Venezuela e Iran Air "quase sempre viajou vazio" e foi pago com atividades ilegais.

Quando começamos o PanAm Post para tentar trazer a verdade sobre a América Latina para o resto do mundo, sabíamos que seria um grande desafio. Mas fomos recompensados ​​pela incrível quantidade de suporte e feedback dos leitores que nos fizeram crescer e melhorar.

Faça parte da missão de espalhar a verdade ! Ajude-nos a combater tentativas de silenciar vozes dissidentes e contribuir hoje. PanAm Post.

Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia