"A fofa do terceiro andar" pode chegar às escolas públicas de todo o país



O primeiro livro juvenil da educadora Cléo Busatto, autora de 25 obras, "A fofa do terceiro andar", já foi finalista do Prêmio Jabuti em 2016. Cléo Busatto é uma artista da palavra para crianças e jovens. 
A escritora está participando do Programa Nacional do Livro 2020 na categoria de 6º e 7º anos

Cléo Busatto Foto: Divulgação

O livro "A fofa do terceiro andar" fala sobre o bullying  e pode se tornar um material de apoio à prática educativa nas escolas de todo o país. A obra finalista ao Prêmio Jabuti 2016 foi selecionada para o PNLD 2020, o Programa Nacional do Livro e do Material Didático do governo federal.

Os livros serão distribuídos de forma gratuita nas unidades federais, estaduais e municipais para estimular o hábito da leitura no ensino fundamental.

Mestre em Teoria Literária, Cléo Busatto defende a implantação de práticas nas escolas que estimulem a visão crítica e integrem as diferentes dimensões do ser humano. 

“E para isto existem as histórias, a boa literatura. Quando A fofa do terceiro andar aponta para outros modos de ver o mundo, desprovidos da intolerância e do preconceito, ela é formativa e útil à escola, professores, pais e alunos.”, conta.

O livro conta a história de Ana, uma criança alegre e brincalhona, mas passou a sofrer na adolescência quando se descobriu gorda e desajeitada com os esportes. Depois de enfrentar o bullying dos colegas, começa a escrever um diário, numa jornada de autoconhecimento.

 "A fofa do terceiro andar" Foto:Divulgação


Quando conhece o menino Francisco, sua vida muda. Em meio à descoberta do amor, do enfrentamento da morte e dos desafios de fazer dieta, estudar e se aceitar como é, Ana cresce e amadurece. Essa explosão de vivências e sentimentos faz o leitor se identificar com as dúvidas, a coragem e os desafios tão marcantes nesta fase da vida. 

“Eu vejo a literatura como um espelho generoso que nos indica possibilidades. De história em história vamos nos construindo através deste espelhamento. A literatura tem este poder de mostrar caminhos que favorecem a reflexão e, acredito, A fofa do terceiro andar tem este mérito.”, revela. 


Mestre em Teoria Literária, pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. A pesquisadora transdisciplinar formada pelo Centro de Educação Transdisciplinar – CETRANS em São Paulo, participou de centenas de ações educativas-culturais em Secretarias de Educação, de Cultura, unidades do SESC e outras instituições públicas e privadas, em mais de 150 municípios do Brasil e do exterior.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Roberta Monteiro

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia