Alta temporada deve injetar mais de R$ 1 bilhão na economia de Alagoas


A projeção leva em consideração a expectativa de turistas para o período de dezembro de 2019 a março de 2020; Estado deverá receber 665 mil visitantes.

A expectativa é de que na Alta Temporada mais de R$ 1 bilhão sejam incrementados à economia estadual, exatos R$1.092.117.600

A alta temporada de verão em Alagoas impactará mais uma vez de forma relevante na economia do Estado. A estimativa da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) é que, entre os meses de dezembro de 2019 e março de 2020, mais de R$ 1 bilhão sejam incrementados à economia estadual, exatos R$ 1.092.117.600. O número é 9% maior do que o valor estimado no ano passado.

O dado tem como base o número de turistas previstos para o período, aproximadamente 665 mil, fruto do cálculo do número de voos da malha aérea regular do Estado, que atualmente é de 780 operações/mês, acrescidos dos 450 extras e fretados que desembarcam no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares nestes quatro meses de alta temporada. Para a estimativa, também foi considerada a média de ocupação das aeronaves, que em outubro já foi de 93%, e o gasto média do turista no estado, que é de R$ 280,00 com um tempo de permanência média de 5 dias.

De acordo com o economista Lucas Sorgato, por seu impacto e capilaridade, o turismo representa boa parte do PIB de Alagoas.

"Esses recursos tem uma capilaridade muito grande, movimentando não só bares, restaurantes e hotéis, mas também artesanato, vendedores de coco e outras especiarias, mercados, atacadistas, dentre outros. Por essa capilaridade, não se sabe a nível nacional e local o impacto exato do setor do PIB, porém, em linhas gerais, a evolução de leitos de hotel no estado, a procura do Destino Alagoas, a movimentação de passageiros no nosso Aeroporto, tudo isso nos permite majorar a importância do setor para a economia alagoana que hoje, certamente, é muito maior do que em outros tempos", pontua.

Ainda de acordo com Lucas Sorgato, a geração de emprego e renda no setor é uma realidade e as oportunidades são ainda maiores na alta temporada. "A cada ano esse impacto financeiro do turismo é maior e a cadeia é imensa, abrangendo várias áreas e gerando um número enorme de pessoas já empregadas no setor. Este cenário da alta temporada, junto às vendas de natal e fim de ano, gera um ambiente ainda mais propício para geração de empregos", conta.

Rafael Brito, secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas, ressalta que este impacto econômico é fruto de um intenso trabalho na articulação e promoção do turismo em Alagoas.

"Em um ano repleto de adversidades, nós conseguimos superá-las com muito trabalho estratégico em todos os setores do turismo. Recuperamos a malha aérea, conquistamos novos voos, fortalecemos nossa relação comercial com importantes players do setor, como CVC e Azul Viagens. Além disso, estruturamos os destinos, promovemos o Destino Alagoas dentro e fora de Alagoas, capacitamos agentes de viagens nacionais e internacionais. Tudo isto contribui para um grande impacto econômico, gerando melhorias na qualidade de vida de milhares de alagoanos que vivem, direta e indiretamente, do turismo", ressalta Rafael Brito.

foto Kaio Fragoso
Texto de Thiago Tarelli
Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia