Visita a São Félix e Cachoeira (BA) encerra o II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo



                 São  Félix da Bahia  (Foto: Rogério Almeida) 



O encerramento da programação turística do II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo foi no município de Cachoeira, no Recôncavo baiano, fundado em 1637.

     Rogério Almeida diante do Rio Paraguaçu cujas margens estão os municípios e São Félix e Cachoeira.

Localizado às margens do Rio Paraguaçu, e a 120 km de Salvador, Cachoeira é um dos municípios baianos que mais preservou sua identidade cultural e histórica.

Com o título de "Cidade Monumento Nacional " pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, e "Cidade Heróica" por ter participado decisamente na luta pela Independência do Brasil, Cachoeira surpreende pelo casario histórico.


          Museu Regional de Cachoeira (Foto: Cristina Hayne)

Aqui nasceu Ana Néri, heroína da Guerra do Paraguai e Lídice da Mata, que foi prefeita de Salvador e atualmente é deputada estadual pela Bahia.


    Ponte Imperial Dom Pedro II inaugurada pelo Imperador Dom Pedro II e que une as cidades de Cachoeira e São Félix (BA).


A ponte principal da cidade se chama Imperial Ponte Dom Pedro II,  foi construída pelos ingleses e é um dos principais cartões postais. Inaugurada por D. Pedro II, no dia 7 de julho de 1885,  une as cidades de Cachoeira e São Félix, ambas nas margens do Rio Paraguaçu.


    João Ramid (PA) diante da Irmandade da Boa Morte em Cachoeira (BA)


Cachoeira também é conhecida pela Irmandade da Boa Morte,  que realiza a Festa da Boa Morte, patrimônio imaterial da Bahia. Reinaugurado em 2014, e hoje Centro Cultural da Irmandade da Boa Morte, preserva a cultura afro-brasileira.


    Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário 
(Foto: Setur/Ascom-Ba- Rita Barreto)

A Igreja  Matriz de Nossa Senhora do Rosário  construída em 1687, (séc XVIII) tem o nome da padroeira da cidade e possui um dos mais belos conjuntos de azulejos portugueses do Brasil. Do alto de suas torres piramidais, revestidas de azulejos, se avista boa parte de Cachoeira e até São Félix.  


Convento e Igreja da Ordem Terceira do Carmo 
(Foto: Hermes Carvalho)

Mas o que mais nos chamou a atenção foi a visita ao Convento e Igreja da Ordem Terceira do Carmo. Tombada pelo IPHAN, a construção em estilo barroco é de 1715.  O interior da igreja é revestido de ouro e painés de azulejos, o que faz como uma das mais belas e impressionantes do Brasil.


     Cristo com o rosto chinês, veio de Macau e está no primeiro andar do Convento do Carmo (Foto: Rogério Almeida)

A Igreja possui imagens de madeira com o Cristo com o rosto chinês, isto porque veio de Macau, ex-colônia portuguesa e que hoje pertence à República Popular da China.


Convento e Igreja da Ordem Terceira do Carmo e Igreja da Ordem Primeira do Carmo  (Foto:Rogério Almeida)

O Convento já foi Paço da Câmara, Casa da Moeda, quartel, pensão e até hospital.


                       Igreja da Ordem Terceira do Carmo em Cachoeira  com a Imagem do Senhor do Bonfim no altar principal (Foto:Patrimonio Espiritual.org)

                                                                    Imagem do Senhor do Bonfim no altar principal da Igreja da Ordem Terceira do Carmo em Cachoeira  (Foto:Patrimonio Espiritual.org)

         Claustro do Convento do Carmo em Cachoeira (BA) 
                                    Foto: Rogério Almeida

 Cristina Hayne, presidente Abrajet do Pará no Convento do Carmo (Foto: Rogério Almeida)


(Foto: Hermes Carvalho)

Quem visita Cachoeira (BA) não deve deixar de ir conhecer o Instituto Roque Araújo de Cinema e Audiovisual (IRA), conhecido como Museu do Cinema.

                        Roque Araújo e Rogério Almeida

  Equipamentos do Museu do Cinema Roque Araújo 
(Foto: Hermes Carvalho)

O idealizador recebeu os participantes do II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo concedendo entrevistas e informou que o  Museu já recebeu mais de 50 mil visitantes, como comprova o livro de presenças.

Museu do Cinema Roque Araújo 
(Foto: Hermes Carvalho)

Roque Araújo foi chefe de obras do Teatro Castro Alves, em Salvador em 1958. No trabalho conheceu o cineasta Roberto Pires, já falecido e que dirigiu "Redenção", (1959), o primeiro longa metragem da Bahia e que teve o ator Geraldo Del Rey, como protagonista.



Ao fazer parte de "Barravento", de Glauber Rocha, Roque Araújo se tornou amigo do diretor e participou de todos os seus filmes, com exceção do curta "Pátio".

                Glauber Rocha (Arquivo Folha/UOL)

Roque dedica uma seção do Museu ao amigo Glauber Rocha. O acervo total do Museu conta com 3.400 peças, como câmeras 16 e 35 mm, ilhas de corte e a primeira câmara do museu data de 1910.



Concluindo a visita à Cachoeira (BA), os participantes do II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo estiveram no Museu Hansen Bahia, onde todos ouviram as explicações pelo Secretário de Cultura e Turismo de Cachoeira (Secult),  Cleydson do Rosário.

    Fundação Hansen Bahia- Museu Galeria em Cachoeira (Foto: Divulgação)
Secretário de Cultura e Turismo de Cachoeira (Secult), Cleydson do Rosário (Keu) (Foto: Hermes Carvalho)

Foto: João Ramid

Karl Heinz Hansen foi um marinheiro, escultor, pintor e cineasta alemão, nascido em Hamburgo em 1915 e que depois da II Guerra Mundial (1939-1945), em 1950, emigrou para o Brasil iniciando seu trabalho de ilustrador na Editora Melhoramentos (SP).

          Auto-retrato de Hansen Bahia em Xilogravura, 1955

Em 1955 chegou à Salvador, onde fez uma exposição na antiga Galeria Oxumaré. Retornou à Alemanha, foi para a Etiópia, mas voltou à Salvador em 1966, adotando o nome artístico de Hansen Bahia.

Hansen Bahia, Fundação Hansen Bahia (Foto: João Ramid)

Foi professor de artes gráficas na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia e em 1970 descobriu e se mudou para São Félix, onde ficou até sua morte, em 1978.

A arte da xilogravura na Fundação Hansen Bahia 
(Foto: Hermes Carvalho)

Em testamento doou todas as suas obras para a Fundação Hansen Bahia, que havia criado em Cachoeira. O artista fez ilustrações para obras de Jorge Amado, Castro Alves, Bertold Brecht, entre outras.

                         Foto: Carlos Lange

 Hoje todo o seu acervo é aberto ao publico na Fundação que leva seu nome em Cachoeira e no local é ensinada a arte da xilogravura.

                             Foto: Carlos Lange

O encerramento da visita à Cachoeira, foi no Restaurante Pai Thomaz, inaugurado em outubro de 2016, num casarão onde também funciona a Pousada com mesmo nome e que não fica muito longe da Casa de Câmara e Cadeia Pública, onde Dom Pedro I foi aclamado Regente e Defensor do Brasil, em 1822.
.
    Pousada e Restaurante Pai Thomaz em Cachoeira (Foto:Divulgação)

Grupo no encerramento do Tour em Cachoeira (Foto: Benneh Amorim)

No retorno à Salvador, a organização do II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo fez uma surpresa colocando um logo iluminado da Abrajet Bahia, diante do Hotel Quality São Salvador, onde nos hospedamos e que foi o hotel anfitrião do evento.

Hotel Quality São Salvador

               Yluska e Rogerio Almeida (PB)



Realizado pela seccional baiana da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet-Bahia), tendo à frente, Gorgônio Loureiro, e organizado pelo Fórum Internacional de Comunicação, Ecologia e Turismo (Ficet), com o apoio da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), Secretaria de Cultura e Turismo de Salvador (Secult), Salvador Destination, Vinci Airport – empresa administradora do aeroporto de Salvador, Sebrae, CBTUR, ABIH-Ba, Fecomércio-BA e Batalhão Especializado de Policiamento Turístico (BEPTur), o II Encontro Internacional de Jornalistas de Turismo superou o sucesso da primeira edição, realizada em agosto de 2018. E em 2020, o III Encontro será em Belém do Pará.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia