Sertões 2019: o maior rally das Américas revela ‘tesouros’ nacionais


Costa Rica, em MS, entrou no roteiro dos Sertões 2019
O Sertões largou de Campo Grande (MS) para uma jornada de quase 5.000 quilômetros rumo às dunas de Aquiraz (CE).

Sábado (dia 24), a cidade de Campo Grande (MS) foi palco da largada da 27ª edição do Sertões, que seguiu para o município de Costa Rica e vai percorrer mais de 4.700 quilômetros pelo interior do país, durante oito dias. É o segundo maior rally do mundo, atrás apenas do mítico Dakar. Amantes da cultura off-road e interessados em conhecer belezas ainda pouco exploradas do Brasil têm diversão garantida.


Participam 300 pilotos nacionais e internacionais de carros, motos, quadriciclos e UTVs (uma espécie de buggy moderno). A prova também vai passar por Mato Grosso, Goiás, Tocantins e Piauí, em meio a cenários únicos de dunas, desertos e cânions, terminando no dia 1º de setembro na cidade de Aquiraz (CE).


A caravana envolve quase 2 mil pessoas, entre competidores, mecânicos e convidados, que movimenta hotéis, restaurantes e postos de combustíveis e provoca forte impacto nas economias locais. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, que participou da largada, comemora a chance de despertar o interesse por destinos nacionais. “Somos o primeiro país do mundo em atrativos naturais, e o Sertões vai popularizar as maravilhas que o Brasil oferece e que, muitas vezes, nós mesmos não conhecemos bem”, salienta.

Novos destinos e grandes emoções em carros potentes fazem parte do Sertões

O rally também permite que turistas acompanhem a competição, viajando a bordo de veículos 4x4, categoria chamada neste ano de “Expedição Sertões”. O CEO do evento, Joaquim Monteiro, ressalta que, além do esporte, a prova busca evidenciar as riquezas turísticas do Brasil. “O DNA do Sertões é revelar novos destinos, além dos tradicionais. Um exemplo é o Jalapão, no Tocantins, que o rally ajudou a colocar no mapa turístico do país. A cada ano, a gente quer revelar um tesouro brasileiro”, explica.


Durante o trajeto, graças a uma parceria com a organização da prova, o Ministério do Turismo (MTur) vai transmitir imagens do roteiro pelas suas redes sociais, abordando as características únicas dos locais percorridos. O objetivo é aproveitar o evento para divulgar os atrativos do percurso, incentivando a procura de destinos. Todos os bastidores do trabalho poderão ser conferidos por meio das redes sociais do MTur, a exemplo do Facebook e do Twitter, além do site oficial do evento, o http://sertoes.com/


HISTÓRICO


O primeiro evento da série ocorreu em 1991, ainda com o nome de Rally São Francisco. A prova, aberta na época apenas para motos, cruzou o interior do país partindo de Ribeirão Preto (SP) e terminando em Maceió (AL).


O resultado da competição depende da soma dos tempos que os pilotos precisam cumprir para completar cada uma das provas, sendo que as equipes conhecem o caminho que irão percorrer apenas no dia anterior e precisam navegar para conseguir trilhar o caminho correto. As mudanças de percurso, seja por conta de obstáculos ou interferências externas, são comuns nas provas off-road de longa distância. Alguns são naturais, como árvores caídas e queda de barreiras. Interferências externas também ocorrem, como o fazendeiro que hoje suspendeu a passagem de parte dos veículos por suas terras.
Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia