Mercosul unido pela força econômica do Turismo


Em encontro na Argentina, ministros pactuam execução coordenada
de ações que favoreçam a integração de destinos do bloco

Promoção conjunta em mercados distantes, estímulo ao fluxo de visitantes estrangeiros e aprimoramento da conectividade regional. Estes foram alguns dos assuntos tratados durante a XXII Reunião de Ministros de Turismo do Mercosul, realizada nesta sexta-feira (26) em Puerto Iguazú, na Argentina, e que reuniu representantes de países integrantes e associados ao bloco, como a própria Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Chile.

O encontro pactuou compromissos como a formulação de uma estratégia de divulgação de atrativos, com oferta de roteiros integrados e o envolvimento dos setores público e privado. Também foram acertadas ações voltadas à facilitação do trânsito de viajantes, a partir de políticas fronteiriças coordenadas, além do planejamento de uma rede aérea e fluvial que potencialize o aproveitamento de destinos turísticos.

Presente, o ministro do Turismo brasileiro, Marcelo Álvaro Antônio, destacou o empenho do Brasil por avanços. “O Brasil vive um momento novo com o presidente Bolsonaro. O turismo no Brasil agora está entre as prioridades, no centro da agenda econômica. E queremos integração, por exemplo, na conectividade aérea. A meta é trabalhar essa cooperação de forma inteligente, para que a gente consiga, sobretudo, trazer viajantes mais distantes para fazer rotas integradas”, declarou.

Sobre turismo náutico, o ministro informou que o Brasil estuda a integração de rotas marítimas e fluviais. Ele ressaltou que já há uma política de redução de taxas portuárias e que os vistos de trabalho para trabalhadores de cruzeiros, que eram de 90 dias, passaram a ter prazo de 180 dias. O ministro apontou, ainda, uma série de ações para facilitar a vinda de embarcações ao país e que pretende trabalhar a integração com a América do Sul pela facilitação da chegada de navios.

Marcelo Antônio anunciou também que fará gestões junto ao BID para viabilizar o financiamento de ações de infraestrutura destinadas à consolidação do Caminho das Missões Jesuíticas, roteiro religioso que une vários países do Mercosul e já é considerado um dos principais produtos turísticos do bloco econômico. Ele lembrou, ainda, que o Brasil instituiu a Política de Gestão Turística do Patrimônio Mundial Cultural e Natural, que contempla a Rota dos Jesuítas no Brasil.

O secretário de Governo de Turismo da Argentina, Gustavo Santos, elogiou a disposição brasileira e enalteceu o potencial da rota para a atração de visitantes, conclamando os ministros a trabalhar pela sua divulgação. “Este é um produto turístico muito importante, que reúne vários atrativos do Mercosul. A gastronomia, por exemplo, é um dos produtos da região missioneira. O turismo fluvial também tem grande potencial, temos que trabalhar junto para reforçar o fluxo de cruzeiros”, sustentou.

Na reunião, os ministros também firmaram apoio à candidatura conjunta de Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai como sede da Copa do Mundo de 2030, como forma de incrementar o turismo e a economia macrorregional.
Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia