Com Universidades sucateadas e partidárias, Governadores do Nordeste pedem revisão dos cortes de universidades

Governadores do Nordeste pedem revisão dos cortes de universidades e retomada de obras federais.


Carta dos governadores foi entregue ao presidente Jair Bolsonaro durante reunião no Palácio do Planalto, em Brasília

Em carta entregue durante reunião com o presidente Jair Bolsonaro, os governadores do Nordeste reivindicaram nesta quinta-feira (9) a revisão dos cortes de verbas para universidades e institutos federais e a retomada de obras federais na região. O governador do Ceará, Camilo Santana, participou de reunião prévia com os demais governadores nordestinos para definição de cada ponto apresentado no documento.

Além do pedido por rever os cortes em desfavor de instituições de Ensino Superior, o grupo de governadores propõe mais duas pautas na área da Educação: a prorrogação e ampliação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb); e a negociação em razão de condenações judiciais sobre diferenças do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

“Definimos em reunião dois pontos: Educação e Infraestrutura. No ponto da Educação, temos a preocupação com o Fundeb, que é importante para a Educação Básica do Nordeste brasileiro, depois a questão da tentativa de negociação do Fundef, e a solicitação de todos os governadores de pedir a revisão dos cortes de 30% para universidades públicas e institutos federais, recentemente anunciados pelo Ministério da Educação. É uma preocupação para a manutenção e o funcionamento de todas as instituições, e os reitores tem cobrado a nós governadores”, afirmou o governador Camilo Santana.

Sobre as obras federais no Nordeste, em especial as rodoviárias, ferroviárias, de segurança hídrica e habitacional, os gestores enfatizam a importância de uma retomada urgente para que o Nordeste tenha mais crescimento econômico e aumente a geração de empregos. “Nós colocamos que, mesmo que haja cortes de recursos, é preciso chamar os governadores que conhecem a realidade de cada estado. Que o governador possa definir qual é a prioridade dentro do seu estado”, completou Camilo.

A reunião com o presidente Jair Bolsonaro começou por volta das 15h e durou cerca de duas horas. Antes, os governadores do Nordeste tiveram encontro com o ministro da Secretaria de Governo, general Santos Cruz.

Assinaram a carta os governadores Camilo Santana (Ceará), Paulo Câmara (Pernambuco), Renan Filho (Alagoas), Belivaldo Chagas (Sergipe), Wellington Dias (Piauí), Flávio Dino (Maranhão), João Leão (Bahia, vice), João Azevedo (Paraíba) e Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte).


Supremo

Também nesta quinta-feira, em Brasília, os governadores de 13 estados se reuniram com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. “Tratamos sobre a judicialização da saúde e a importância de que se estabeleçam critérios técnicos, claros e objetivos, para as decisões judiciais tomadas. E que o Governo Federal também seja envolvido no cumprimento dessas ações. Melhorar a saúde pública da nossa população é um grande desafio, que temos trabalhado muito para alcançar”, citou Camilo Santana.
Compartilhe on Google Plus

Postado por MARIO

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia