Pequenos e Médios negócios estão menos confiantes para 2º tri de 2019



Após retomada tímida nas duas últimas pesquisas, Índice de Confiança do Pequeno e Médio Negócio (IC-PMN) volta a cair

As oscilações no cenário político-econômico do País parecem estar impactando os empreendedores brasileiros. Depois de registros de retomada nos últimos dois trimestres, o Índice de Confiança dos Pequenos e Médios Negócios (IC-PMN), medido pelo Centro de Estudos em Negócios do Insper com apoio do Santander, mostra que os empreendedores estão menos confiantes para o segundo trimestre de 2019, registrando uma variação negativa de 2,6% em relação ao trimestre anterior.

A variação do índice reflete o atual momento do Brasil e as principais preocupações de pequenos e médios empresários das cinco regiões do Brasil.

“Nos dois trimestres anteriores - o último de 2018 e o primeiro de 2019 – surgiu uma expectativa positiva com relação à economia brasileira, produto provavelmente da mudança do governo. Como, pelo menos por enquanto, os resultados não apareceram, essa expectativa favorável diminuiu. Um fator adicional que pode explicar essa oscilação negativa é o ruído político e os conflitos entre os Poderes” explica Gino Olivares, professor do Insper e pesquisador responsável pelo IC-PMN.

Alexandre Teixeira, superintendente executivo do segmento de Negócios & Empresas do Santander Brasil, acredita que, diante desse cenário, o empreendedor se manterá cauteloso para realizar novos investimentos. “Havia uma expectativa de retomada da demanda por essa linha, mas agora observamos que o início desse movimento pode ser postergado. Nossa orientação é que o empreendedor esteja atento ao seu fluxo de caixa para haja uma gestão sustentável do seu negócio. E o que ele precisar, estaremos prontos para apoiá-lo”, ressalta.

Com exceção da região Norte, que registrou alta no índice geral de confiança (0,6%), o desânimo dos empreendedores está em todos os cantos do país: o Sudeste (-4,1%) e o Sul (-2,4%), tiveram as maiores quedas. Por fim, seguiram em menor declínio as regiões Centro-Oeste (-2,3%) e Nordeste (-1,2%).

O estudo mostra também que na abertura por atividade econômica os três setores registraram retração: Comércio (-3,2%), Serviços (-3,1%) e Indústria (-0,7%). Ao analisar o índice por questão, verificam-se variações negativas para todos os quesitos: Lucro (-4,2%), Faturamento (-3,1%), Ramo (-2,5%), Economia (-2,4%), Investimento (-2,3%) e Empregados (-1,4%).

Os dados do IC-PMN foram obtidos por meio de entrevistas telefônicas com 1329 pequenos e médios empresários de todo o país, dos setores da indústria, comércio e serviços. A margem de erro do índice é de 3% para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%.

IC-PMN
(variação trimestral)
2º Tri 2019
1º Tri 2019
70,2
72,1
IC-PMN
(variação anual)
2º Tri 2019
2º Tri 2018
70,2
70,6

Fonte: Centro de Estudos em Negócios do Insper

2º Tri 2019
Região
CENTRO-OESTE
72,2
NORDESTE
71,1
NORTE
74,1
SUDESTE
69,3
SUL
69,5

2º  Tri 2019
Setor
COMERCIO
70,0
INDUSTRIA
72,5
SERVICOS
69,3

2º Tri  2019
Valores
ECONOMIA
71,8
RAMO
72,9
FATURAMENTO
74,5
LUCRO
74,3
EMPREGADOS
62,5
INVESTIMENTO
65,3

Fonte: Centro de Estudos em Negócios do Insper


Resultados compilados

Fonte: Centro de Estudos em Negócios do Insper
Compartilhe on Google Plus

Postado por Fernando Lagreca

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia