Mudança do clima pode afetar suprimentos de cerveja em todo o mundo

(Foto: Google / Reprodução)

Uma péssima notícia para os apaixonados por cerveja: o preço da bebida vai aumentar bastante nos próximos anos, especialmente se não reduzirmos as emissões de carbono na atmosfera. Isso porque a intensificação de secas e enchentes ao redor do mundo, um dos principais efeitos da mudança do clima, pode dificultar a produção de cevada, o que levaria a uma escassez dessa matéria-prima fundamental da cerveja e a elevação do custo de produção da cerveja, com reflexos diretos no preço ao consumidor.

Um estudo publicado nesta semana na revista científica Nature Plants analisou a vulnerabilidade da cadeia produtiva da cerveja à mudança do clima, avaliando os efeitos de eventos climáticos extremos, como secas e enchentes mais fortes e frequentes, sobre o cultivo de matérias-primas da bebida considerando diferentes cenários climáticos futuros.

Publicado por uma equipe de pesquisadores da China, Estados Unidos, México e Reino Unido, o estudo aponta que a intensificação de eventos climáticos extremos poderá causar reduções substanciais na produção global de cevada entre 3% e 17%, dependendo da gravidade das condições. A escassez desse ingrediente pode resultar em efeitos negativos diversos sobre a cadeia de produção da cerveja, reduzindo sua produção global e elevando consideravelmente seus preços no mercado.
Tudo isso depende de como as emissões globais de carbono seguirão nos próximos anos. Se continuarmos liberando gases de efeito estufa na atmosfera terrestre sem restrições, os preços da cerveja podem subir mais de US$ 4,00 (cerca de R$ 12) para garrafas de meio litro (500 ml) nos piores cenários. Mesmo em países pouco afetados, a elevação potencial no preço da bebida também seria notável, com aumentos de cerca de US$ 2,00 (R$ 6,00).

Isso atingiria em cheio o coração da indústria cervejeira mundial. Países com grande tradição na da bebida, como Alemanha, Bélgica e República Tcheca, poderão sofrer redução de quase 40% na produção por conta da escassez de cevada. Produtores importantes desse cereal, especialmente na América Central, América do Sul e África Central, podem ter perdas produtivas significativas nas próximas décadas, aponta a pesquisa.

Nos cenários mais negativos, o preço da cerveja pode dobrar e o consumo cair cerca de 16%. Essa queda no consumo seria o equivalente a toda a cerveja consumida pelos Estados Unidos, um dos maiores mercados globais da bebida, no ano de 2011. Na Irlanda, outro país com tradição cervejeira, os efeitos são ainda mais pesados: a elevação do preço da cerveja poderá variar entre 43% e 388% até o final deste século.

O Brasil, um dos maiores consumidores globais de cerveja, seria um dos países mais afetados pela escassez de cevada e suas consequências sobre a produção e a disponibilidade da bebida. No pior cenário de alteração climática, a redução forçada no consumo de cerveja poderia chegar a 7% do total consumido pelo país em 2011 (cerca de 1 bilhão de litros a menos).

Obviamente, essa não é a consequência mais desastrosa da mudança do clima, mas ela evidencia que os efeitos das alterações dos padrões climáticos na Terra vão muito além da intensificação de tempestades e de estiagens ao redor do mundo, com resultados diretos sobre todos os aspectos de nossa vida neste planeta.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Redação Fácil

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia