Ibope só confirmou o que eu já dizia antecipadamente: Jair Bolsonaro está eleito




Ser analista político requer muitas coisas, mas algumas delas são fundamentais: trabalhar com fatos, com números, com fontes e com o óbvio. Não existe mistério ou fantasmas na política. Claro que o imponderável existe, mas é preciso não ser covarde e não ter medo de antecipar os fatos. Quando se faz isso sem paixão ou torcida é bem mais fácil.

Foi o que publiquei em primeira mão nas minhas redes sociais. 

Análise sem paixão e sem torcida virou coisa rara no Fla X Flu de 2018. Por isso, nessa reta final repetimos o cenário que estava posto. Bolsonaro encarnou o “antissistema” e o “antipetismo” que emergiu das ruas em 2016 e foi ignorado por Lula ao insistir em isolar, novamente, Ciro Gomes.
O que aconteceu?

Não teremos virada alguma.

Não teremos golpe militar algum.

Torcer também faz parte. Você que é militante e que também passou por aqui para o bom debate, para criticar, para contestar nossa opinião ou para concordar, fique à vontade.

Jair Messias Bolsonaro vai ganhar no voto e deve ser respeitado como novo presidente.
A oposição deve analisar seus erros e fiscalizar o novo governo, além de cobrar as promessas do candidato eleito.

O novo presidente deve baixar o tom (recebeu também muito ataques desleais) e tratar de trabalhar e cumprir o mandato que a maioria da população vai lhe conferir no dia 28.

A democracia é assim.

E a vida de todos nós segue depois do embate que dividiu o país e desfez amizades, produziu ódio e gerou uma ‘vibe ruim’.

Não tive um só amigo petista excluído ou que me excluiu. Quando disse que votei em Amoêdo e que votarei em branco, recebi muitas críticas.

Não excluí ninguém e ninguém me excluiu por isso.

Fico feliz e com a certeza do dever cumprido de informar, analisar e mostrar os dois lados. Sempre sem deixar de dar minha opinião.
Compartilhe on Google Plus

Postado por Redação Fácil

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia