Paulo Câmara destaca a educação e o empreendedorismo em debate realizado pela Rádio Liberdade

(Fotos: Hélia Scheppa/PSB)

O governador e candidato a reeleição, Paulo Câmara (PSB) participou de mais um debate promovido, na manhã desta terça-feira (18), entre os postulantes ao governo estadual na Rádio Liberdade, em Caruaru. 

No debate, único realizado no interior do Estado, Paulo falou que pretende implantar o Crédito Popular, voltado para o pequeno empreendedor, que terá acesso a R$ 3 mil como forma de intensificar seu negócio. Outra importante proposta do socialista é a criação do Prouni estadual, que vai conceder quatro mil bolsas a estudantes de rede pública que tentarem ingressar na universidade particular. Na área da educação, Paulo também se comprometeu a ampliar o acesso ao ensino integral, passando para 70% de alcance. 

Vale destacar ainda a proposta apresentada aos pernambucanos para a criação de um pacto pela economia, que vai estimular a atração de novos empreendimentos, gerar qualificação profissional e criar novos empregos, afetados pela crise econômica nacional. A criação do 13º salário para beneficiários do Bolsa Família também foi reafirmada.

Paulo conduziu o debate sempre apresentando propostas que interessam ao cidadão. O socialista disse que, apesar de todas as dificuldades financeiras, foi possível avançar em Pernambuco, inclusive com obras que não foram previstas nas eleições de 2014. Os avanços da infraestrutura hídrica foram um dos destaques. “Tivemos que fazer obras fundamentais para abastecimento. Essas obras saíram do papel. Fizemos a Adutora do Pirangi, estamos fazendo Adutora do Alto Capibaribe e a Adutora do agreste. Em 2018, Temer não repassou um real. Mas avançamos na obra, vamos finalizar a primeira etapa”, pontuou.

Na ocasião, Paulo lembrou que na sua gestão, Pernambuco alcançou os melhores índices de Educação e se tornou referência no país com a menor taxa de abandono do escolar, a menor diferença entre escola privada e pública e a maior rede de escolas técnicas do Brasil. “Quando falamos em salário de professores, lembramos que demos aumento em 2015, 2016, 2017 e 2018 e fomos o único Estado que fez isso. Temos 388 escolas em ensino integral. Todo município pernambucano, inclusive Fernando de Noronha, tem escola em ensino integral. Isso tem feito diferença. A escola regular é bem cuidada, tem professores ensinando bem, isso tem feito diferença na educação em Pernambuco. Nos próximos quatro anos, vamos ampliar as escolas em tempo integral para 70% da rede. Com esse percentual, vamos chegar ao alcance de todos que queiram estudar em tempo integral, porque essa é a demanda que existe”, afirmou.

O gestor também falou sobre os investimentos feitos na segurança pública para conter o aumento da violência, ocorrido em todo Brasil. “Pernambuco fez contratações no âmbito de todas as polícias, foram 2,8 mil policiais militares nessa segunda leva, 1,1 mil já foram em 2015, 1,2 mil civis e da polícia científica, bombeiros militares também foram contratados e criamos novas estruturas, como o Biesp aqui de Caruaru e de Petrolina. Interiorizamos a polícia científica, justamente para dar condições de acelerar as investigações e ao mesmo tempo dar segurança às mulheres que sofrem agressão. E os resultados estão vindo: 2018 é a prova disso. Já são 9 meses de redução de homicídios, 12 meses de redução no número de assaltos e de roubos”, destacou.

Ao comentar as ações de infraestrutura – como a duplicação da PE-160 e qualificação da BR-104, no Agreste Setentrional – e as políticas tributárias voltadas para o desenvolvimento do Polo Têxtil, que ajudaram a reduzir a informalidade e a impulsionar a economia local, Paulo destacou sua preocupação com a Reforma Trabalhista aprovada no Congresso Nacional. “Eu fui contra a reforma apresentada pelo presidente Temer. Reformas, a gente analisa, discute. Essa do presidente Temer, não. Ela é claramente um absurdo, foi um absurdo o que foi feito aos trabalhadores do Brasil. A Reforma Trabalhista só agravou o desemprego, precarizou a relação, legitimou absurdos, como trabalho insalubre para as mulheres. Foi um desserviço ao Brasil essa aprovação”, avaliou.

“Tenho muita honra de ter o apoio do presidente Lula à minha candidatura porque ele fez muito por Pernambuco, pelo Nordeste, pelo Brasil, diferente desse atual presidente, que o grande trabalho que ele fez foi discriminar o Estado, esquecer a região e prejudicar a vida do povo brasileiro, junto com esse conjunto de ministros pernambucanos que estão no palanque oposto ao nosso. Nosso lado quer ver o Brasil voltar a ser feliz e apoia a candidatura do Fernando Haddad porque ele tem compromisso com Pernambuco, com o Nordeste. Estamos ao lado do povo, de Arraes, Eduardo, Lula e Haddad e vamos trabalhar por Pernambuco na frente”, disse Paulo.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Compartilhe on Google Plus

Postado por Redação Fácil

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia