José Rangel vai ao encontro de um mundo melhor


Na confraternização da Prática Eventos, em 2016, Edgony Bezerra, Snelius Fiúza, Enid Câmara e José Rangel

Na manhã silenciosa deste domingo (22 de julho), compareci à funerária Ternura para assistir ao embarque do colega José Rangel para um mundo melhor. Este foi o convite de Deus com a carta de alforria para um profissional que deu sua contribuição ao turismo e à sociedade cearense por mais de 30 anos. Missão cumprida, colega Rangel. O evento reuniu familiares e amigos, todos surpresos com a “viagem” inesperada do jornalista.


Na missa, o celebrante disse que “o Céu tem muitas moradas e Rangel ocupará uma delas. Segundo ele, lá não existe dor, não existe tristeza nem morte e todos terão a presença de Deus ao seu lado. A definição deste cenário é um conforto para os que ficam aguardando o próximo embarque, que não sabemos quando, nem onde, mas todos nós temos a certeza que vamos.

Fora dos palcos do colunismo social, onde ficou conhecido pela célebre frase “em sociedade tudo se sabe”, Rangel enveredou por outros caminhos. Tinha um blog com notícias diversas: política, sociedade, turismo e eventos. Ocupava e presidência da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo do Ceará (Abrajet-CE) e tinha um grande zelo pela capital, Fortaleza. Nas suas andanças pela cidade, sempre fotografava e publicava fotos de lixo nas calçadas e de ocupação irregular. As desigualdades sociais o incomodavam, como moradores de rua e crianças pedindo esmola nos semáforos.

Agora, na nova morada, Rangel divulgará os jardins do paraíso e terá uma convivência pacífica com os “companheiros”, exercitando sua leveza, diplomacia e amizade, longe da corrupção, da fofoca e dos oportunistas políticos, antes tão presentes no seu dia a dia. Dele terei boas recordações, com a certeza de que convivemos pouco neste mundo agitado e estressante.

Contudo, ficou uma reflexão: Por que não dedicamos mais tempo às pessoas, aos amigos, aos companheiros de trabalho? A partida repentina de Rangel deixou este sentimento. O vi pela última vez na reunião de junho, da Câmara Setorial de Eventos (CS Eventos), no auditório da Adece, presidida por Enid Câmara, a quem ele dedicava atenção e amizade. Naquela manhã, ficamos em lados opostos, e jamais imaginei que era a última vez. Fica a saudade e a certeza de que perdemos um colega, um amigo...
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia