Ano novo, vida nova e novas perspectivas

Esta é a Fortaleza que nos seduz e encanta FOTOS: Divulgação

O ano de 2017 terminou em clima de euforia. A festa de réveillon foi uma das maiores do país, atraiu mais de um milhão de pessoas ao aterro da Praia de Iracema e conquistou espaço na mídia nacional, mudando a imagem do Ceará para um colorido promissor. Entre luzes e cores, o Ceará comemorou um ano iluminado para o turismo, com muitas conquistas para o setor.


Neste ano, o Estado deu um salto de qualidade com a concessão do Aeroporto Internacional Pinto Martins para a Fraport, empresa alemã que o administrará por 30 anos mediante contrato que inclui investimentos de R$ 2 bilhões em reforma e ampliação. Com a nova administração, o aeroporto terá capacidade de atender a uma demanda de 14 a 16 milhões de passageiros. A estrutura atual é para receber 6 milhões de passageiros.


A parceria com a Fraport já trouxe resultados positivos para o Estado, como a conquista do hub da Air France-KLM e Gol, de significativa importância para o crescimento do turismo e da economia. Parece um sonho que a partir de maio próximo teremos três voos semanais para Amsterdam e dois voos para Paris. Além do esforço governamental, Fortaleza abriu suas portas para o mundo pela sua localização estratégica de maior proximidade da Europa em relação às demais capitais do Nordeste.


Outra conquista do Ceará em 2017 foi a conclusão do Aeroporto de Jericoacoara, que despertou o interesse das companhias aéreas Gol e Azul pelo destino. Um capricho da natureza que precisa de cuidados e normas para sua preservação. Jeri não suporta grandes demandas.


Este é o outro lado da moeda que poucos conhecem

Diante deste avanço para o desenvolvimento, o Ceará precisa agregar mais trabalho e ação. As conquistas não caminham sozinhas. Precisam de promoção no exterior e de uma completa arrumação da casa, com redução dos níveis de violência. Precisamos sair do comodismo de afirmar que o problema da violência é nacional.

Alguma coisa precisa ser feita com urgência para que Fortaleza não se torne conhecida pelo medo que paira sobre seus moradores. Não podemos crescer em setores tão relevantes como o turismo sem reduzirmos nossas desigualdades sociais. Temos várias Fortalezas em uma única cidade, o que nos torna uma sociedade fria e injusta diante da miséria do nosso povo. Vamos dar as mãos e crescer juntos, sem interesses pessoais, sem politicagem e com uma gestão participativa.

Edgony Bezerra
http://www.edgonyonline.com.br/
Compartilhe on Google Plus

Postado por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia