Adeus à grande Dama da Sociedade Carioca: Carmen Mayrink Veiga

                        Carmen Mayrink Veiga

Morreu na tarde deste domingo (3), no Rio de Janeiro, aos 88 anos, a socialite Carmen Mayrink Veiga, considerada um dos ícones da sociedade brasileira.


Carmen Therezinha Solbiati Mayrink Veiga era neta do Barão de Arari e sobrinha-neta do Barão de Araras, Nasceu em Pirajuí, interior de São Paulo, no dia 24 de abril de 1929. Seu pai era um rico financista de São Paulo, que foi cônsul honorário do Reino da Itália.


            Carmen e Tony Mayring Veiga, casamento em 1956

O casamento de Carmen com o empresário Tony Mayrink Veiga foi o acontecimento social do ano de 1956. Ficaram juntos por 60 anos, até a morte dele por enfarto, em 2016.  O casal teve dois filhos: Antenor e Tereza Antônia.

                  Carmen capa da Revista Manchete em 1960

Considerados por Truman Capote, Diana Vreeland e Anna Wintour, na “Vogue” americana, “o casal mais chique da América do Sul”, Carmen e Tony eram uma referência do Brasil no jet set mundial. 

Em 1981, Carmen entrou para a lista da revista Vanity Fair como uma das mais bem vestidas do mundo.

Carmen foi retratada por artistas como Cândido Portinari, Andy Warhol e Di Cavalcanti, além de ter sido fotografada por nomes como Francesco Scavullo, Richard Avedon e Mario Testino.

Em 1997, escreveu o livro "ABC de Carmen", sobre etiqueta e seu estilo pessoal.  Em 2003, a Casa de Arte e Cultura Julieta de Serpa, no Rio, organizou uma exposição com 67 de seus mais de 400 vestidos de alta costura - uma coleção considerada rara pelos especialistas em arte e alta moda.

Carmen sofria de paraparesia espástica tropical, condição que limitava seus movimentos. Em decorrência da doença, se locomovia em uma cadeira de rodas desde 2013. 

Desde então, tornou-se uma ativista pela causa dos cadeirantes, conseguindo que rampas de acesso e outras facilidades indispensáveis para pessoas com deficiência e problemas de mobilidade fossem instaladas em hotéis como o Copacabana Palace, restaurantes e edifícios históricos, como o Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que ganhou um elevador panorâmico específico para cadeirantes inaugurado por Carmen.

O casal Carmen-Tony Mayrink Veiga chegou a perder tudo financeiramente o que a obrigou a vender seu retrato pintado por Cândido Portinari.

O leilão dos bens do casal aconteceu em 2007 e além de obras de arte, tapeçaria, jóias e propriedades rurais o casal leilou seu Rolls-Royce do ano de 1951.

Em 2013, num novo leilão, mais de 100 peças de arte e decoração foram arrematadas em São Paulo.  O motivo do leilão, segundo Carmem, é a mudança para um imóvel menor, contíguo ao seu imenso apartamento da Praia do Flamengo . 

 "Não sinto falta dessas coisas. Aproveitei bastante e não me arrependo de nada", dizia.

    Carmen Mayrink Veiga e a neta Maria Frering e a filha Tereza Antonia Frering  (Foto: divulgação)

Carmen Mayrink Veiga sobrevive pelos dois filhos: Antenor e atriz Tereza Antônia Frering, que mora e Londres e mãe de 3 netos de Carmen: Maria Teresa, Guilherme e Antonio Lorenzo.   
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia