Projeto Villa Sanhauá de recuperação de casarões é iniciado no Centro Histórico de João Pessoa

                               Casarões do Projeto Villa Sanhauá (Foto: divulgação)
Cerca de oito casarões no Centro Histórico de João Pessoa estão sendo revitalizados pelo projeto Villa Sanhauá.  Trata-se de um projeto de reforma e revitalização com o objetivo de proporcionar condições de habitabilidade ao local, assim como garantir uma nova dinâmica de uso comercial na Rua João Suassuna em pleno centro comercial da capital paraibana.
 As obras começaram na última segunda-feira (17) e um trecho da rua foi bloqueado para colocar os tapumes.
Todo o projeto, vanguardista no Brasil, foi inteiramente elaborado por técnicos da Secretaria de Habitação Social (Semhab) e está sendo desenvolvido com recursos próprios da administração municipal, orçado em R$ 4.211.934,00.
O projeto – A Semhab desenvolveu o projeto arquitetônico para implantação de dezessete unidades habitacionais, sendo uma unidade adaptada para Portadores de Necessidades Especiais (PNE), seis unidades comerciais e uma unidade reservada para uso Institucional, totalizando oito imóveis conjugados que serão reabilitados. As unidades comerciais variam entre 40,06m² e 131,70m². As habitações terão dois quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço.
Para requalificação do local foi realizada a pesquisa arqueológica prevista no Decreto 25.138, que legisla sobre o tombamento do Centro Histórico na cidade de João Pessoa. Pré-requisito para o desenvolvimento de projetos de intervenção em áreas de interesse histórico.
O projeto prevê a abertura de um pátio interno que integra os Casarões, gerando um espaço comum de acesso que possibilita a ventilação e a iluminação naturais das unidades habitacionais.
Além de conectar os novos vizinhos, que atravessam os lotes sem tocar nas paredes originais por meio de uma passarela metálica, proporcionando ainda a criação de áreas verdes e jardins que passarão a funcionar como uma única unidade de vizinhança.

Compartilhe on Google Plus

Escrito por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia