Ninhos de tartaruga são encontrados no Parque Estadual das Trilhas na PB





A Secretaria Executiva de Meio Ambiente, juntamente com o Batalhão de Policiamento Ambiental, a Ong Guajiru e o Aquário Paraíba, identificou, na última quinta-feira (22), dois ninhos de tartaruga da espécie oliva na área de abrangência do Parque Estadual das Trilhas, na praia de Jacarapé, no litoral sul da Paraíba.

Em um dos ninhos foram encontrados 75 ovos que levarão aproximadamente 60 dias para eclodirem.

Segundo o secretário executivo do Meio Ambiente, Fabiano Lucena,  será feito um trabalho de monitoramento no local para a preservação dos animais.

                Batalhão de Policiamento Ambiental e representantes da Ong Guajirú e o Aquário Paraíba  (Foto: Divulgação)

“Nosso trabalho com o Batalhão de Policiamento Ambiental, foi de garantir a segurança do local, visto que aquela região é um pouco deserta. Nós vamos continuar acompanhando a existência do ninho até que os ovos venham a eclodir”, destacou.

De acordo com Rita Mascarenhas, que coordena o projeto tartarugas urbanas da Ong Guajiru, não é comum o surgimento de ninhos de tartarugas da espécie oliva. “Esse foi o décimo ninho de tartaruga oliva que eu encontrei, dos mais de dois mil que a gente cuida em 15 anos de existência da Ong Guajiru e nós vamos monitorá-lo”, afirmou.

Rita acrescenta que haverá um trabalho de conscientização junto a população para que os animais sejam protegidos no local. “Quando os ovos eclodirem, nós vamos realizar uma ação educacional para que a população esteja empenhada em proteger as tartarugas toda vez que elas surgirem por lá”, destacou.

Para Karina Massei, bióloga do Áquario Paraíba, localizado na praia de Jacarapé, a população receberá apoio da equipe de biólogos, visto que o aquário está localizado mais próximo do local dos ninhos. “Nós vamos dar total apoio aos moradores da região na preservação desses animais. O que eu pude constatar é que a comunidade tem mostrado total interesse em cuidar das tartarugas. Foram eles que ligaram para a polícia ambiental e acompanharam junto conosco a detecção dos ninhos”, acrescentou.

Tartaruga Oliva – A tartaruga da espécie Lepidochelys olivacea, conhecida também como tartaruga-oliva é a menor de todas as espécies de tartarugas marinhas, com peso entre 35-50 kg, sendo uma espécie altamente migratória. Sua carapaça possui de 6 a 12 pares de placas laterais justapostas, sua coloração pode variar de cinza claro a verde escuro com o seu ventre amarelo claro, sua cabeça possui 2 pares de placas pré-frontais e 3 pares pós-orbitais. O comprimento de seu casco mede 68 cm em média.

Sua distribuição é ampla sendo encontrada em bacias oceânicas tropicais e subtropicais, sendo provavelmente a espécie em mais abundância; as maiores colônias encontradas destes animais estão localizados em áreas costeiras do litoral do Sergipe, em algumas praias do litoral baiano e no norte do Espírito Santo.

A tartaruga oliva apresenta três tipos de desova: solitária, em pequenos grupos e em arribada (desova de milhares simultaneamente). As arribadas são registradas na Costa Rica, Nicarágua, Panamá, México, Suriname e Índia. No Brasil o principal sítio reprodutivo se localiza entre o litoral sul do Alagoas e o litoral norte da Bahia, com maior densidade de desova no estado do Sergipe. A cada temporada reprodutiva as L. olivacea realizam de uma a três posturas e seu ciclo reprodutivo ocorre com intervalos de um a três anos; em cada postura realizada são depositados no ninho cerca de 100 ovos. 

Compartilhe on Google Plus

Escrito por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia