Brasil se destaca com alta de 58% de visitantes em Curaçao



O quarto trimestre do ano de 2016 teve queda de 17% em relação ao mesmo período de 2015. Foram 22.160 menos desembarques registados no último trimestre de 2016. O desempenho negativo ocorreu principalmente devido à queda de visitantes da Venezuela, que pela curta distância de Curaçao, tem grande impacto no número de visitantes da ilha do Caribe.
A queda desse mercado não poderia ter sido substituída por qualquer outro, visto que o Curaçao Tourist Board registrou diminuição dos visitantes da Venezuela em outubro, novembro e dezembro respectivamente de 71,3%, 73,9% E 56,9%.

Em números absolutos ao longo dos três meses foram menos 21.630 visitantes. Embora outros mercados como o Brasil, Colômbia, Alemanha e Holanda tenham obtido resultados positivos com respectivamente 58%, 4%, 2% e 1% a mais de visitantes, o grande decréscimo da Venezuela manteve um impacto negativo de visitantes para o quarto trimestre como um todo. Outubro de 2016 registou diminuição de 17,3%, enquanto em novembro a diminuição foi de 18,9% e em dezembro a queda foi de 15% nas chegadas em comparação com 2016.

As chegadas totais a Curaçao em 2016 mostram diminuição de 5,6%. No total, 441.331 visitantes foram à Curaçao de janeiro a dezembro 2016, enquanto em 2015 foram recebidos 467.538 visitantes.
A região europeia registrou ligeira queda de 0,4% nas chegadas de visitantes no último trimestre de 2016 anotando 208 visitas.

Das regiões da América do Sul e América do Norte a diminuição foi de respectivamente, 46,6% e 12,4% visitantes. Em números absolutos, 20.204 menos sul-americanos foram registrados no quarto trimestre de 2016, mesmo com um ótimo desempenho do Brasil no período. A instável situação na Venezuela é a principal razão para região sul-americana ficar abaixo do alvo estipulado.O CTB (Curaçao Tourist Board), a CHATA (Associação de Hospitalidade e Turismo de Curaçao) e o Ministério do Desenvolvimento Econômico estão cientes da situação atual e estão monitorando o efeito total desta evolução.

A região da América do Norte registrou 2,577 visitantes a menos, o que foi causado pela diminuição da capacidade dos voos que partem de Miami. Da região do Caribe, o quarto trimestre registrou apenas 56 visitantes a menos do que no quarto trimestre de 2015.

Utilizando o “Modelo Turistika”, foram calculados os impactos do turismo na economia local. O “Modelo Turistika” é um acordo de cooperação de longo prazo entre o Ministério do Desenvolvimento Econômico e o CTB, com a participação da SEO Amsterdam Economics que foi fundada a partir da Faculdade de Economia da Universidade de Amsterdam.
Usando esse modelo foi possível aferir que durante o quarto trimestre de 2016, o setor do turismo foi diretamente responsável por gerar 129,3 milhões de dólares para a economia local. Em 2015, o valor gerado foi de 139 milhões de dólares, uma diminuição de 6,9%.

Os visitantes europeus foram responsáveis por 53,0% das despesas totais na ilha. Ao todo, os europeus gastaram um total de 68,5 milhões de dólares. Eles foram seguidos pelos sul-americanos, que gastaram 26,6 milhões e Norte-americanos que gastaram 24,7 milhões de dólares. O restante dos visitantes gastou um total de 9,5 milhões em outubro, novembro e dezembro de 2016.

fonte blog novo.brasilturis.com.br
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia