Fortaleza : Congresso internacional é cancelado no Ceará e centenas denunciam golpe

Pesquisadores se preparavam há meses para apresentar projetos no evento
(Foto: Valdir Almeida/G1)

Centenas de pessoas que se inscreveram para o 1º Congresso Internacional de Saúde Multidisciplinar (Coims), que deveria começar nesta quinta-feira (27) no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza, denunciam um suposto golpe por parte dos organizadores do evento, que foi cancelado no momento em que deveria ser iniciado. O congresso atraiu pessoas de outros estados e de países vizinhos; alguns relatam prejuízo de pelo menos R$ 30 mil.

Segundo os alunos e pesquisadores presentes, pelo menos 1.600 pessoas se inscreveram no congresso; eles relatam que gastaram, em média, R$ 2 mil com passagens, hospedagem e alimentação. O congresso reúne pessoas que atuam em diversas áreas da saúde, como medicina, enfermagem, fisioterapia e farmácia.

O anúncio do cancelamento foi feito na abertura do evento pelo co-organizador Marcelo Braga, gerando indignação nas pessoas presentes. Ele deixou o local após o anúncio.

Inscritos em congresso cancelado afirmam que gastaram, em média, R$ 2 mil para participar de evento em Fortaleza (Foto: Valdir Almeida/G1)


“O anúncio foi feito no que seria a abertura do evento pelo co-organizador da empresa Radiologia News, Marcelo Braga, que prometeu restituir o pagamento que os congressistas tinham efetuado para participar do evento”, diz a Secretaria do Turismo do Ceará, responsável pelo Centro de Eventos, em nota.

Michele Cristine Cirino Braga, dona da empresa que fez o contrato do aluguel do Centro de Eventos para a realização do congresso, disse ao G1 que desconhece o motivo do cancelamento. Ela informou que soube da não realização do evento pelo G1 e que apenas emprestou os dados da empresa dela ao irmão, Marcelo Braga, para realização do seminário. Marcelo Braga não atendeu às ligações feitas pelo G1.


Relatos de prejuízo

Em rede social, inscritos em congresso denunciam suposto golpe (Foto: Facebook/Reprodução)

O prejuízo foi maior ainda para a professora Kristiana Mousinho, de Maceió, que levou 10 alunos para apresentar trabalho no local. "Meus alunos estão produzindo trabalho para apresentar neste seminário desde março, tanto pesquisando como imprimindo banners. Tivemos um prejuízo de R$ 30 mil até hoje e ainda vamos gastar com alimentação", diz a professora.

João Breno, 21, estudante de enfermagem, viajou de Sobral para Fortaleza para apresentar o trabalho que prepara desde março. Ele iria apresentar trabalho sobre assistência de enfermagem e humanizada frente ao diagnóstico de mulheres com câncer de mama.

"Estou decepcionado, foi muito tempo fazendo o trabalho desde a semana de enfermagem, pra acontecer isso. Vim de Sobral, bem longe, pra cá", lamenta o estudante.

As inscrições custaram de R$ 450 a R$ 700. Os palestrantes, que receberiam até R$ 5 mil pela participação, também não foram remunerados.

Em redes sociais, os organizadores anunciaram ainda nesta quinta-feira que estava "tudo preparado" para as pessoas inscritas, que responderam denunciado "golpe" e "calote".

Em nota, a Secretaria do Turismo do Ceará, afirma que o Congresso Internacional Multidisciplinar de Saúde é de “responsabilidade de Michele Cristine Cirino Braga […] conforme descrito em contrato assinado anteriormente”. A nota afirma que a “organizadora do evento efetuou o total pagamento do espaço à Secretaria da Cultura (Setur), que não foi informada sobre o cancelamento do evento e nem sobre os motivos”.



Valdir Almeida e Verônica Prado
Do G1 CE
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia