Em balanço de 100 dias, ministro do Turismo elenca série de medidas para impulsionar o setor


Em pouco tempo no cargo, Marx Beltrão conseguiu colocar em discussão temas há anos tratados como gargalos no Turismo
Por Lívia Nascimento

Os 100 primeiros dias de gestão de Marx Beltrão à frente do Turismo reúnem bons motivos para comemoração. Em pouco mais de três meses, o ministro comemorou a marca histórica de 6,6 milhões de visitantes estrangeiros em 2016, iniciou a discussão da modernização da Lei Geral do Turismo e assinou a liberação de R$ 391,5 milhões para obras de infraestrutura turística em todo o Brasil, valor que corresponde a 61% de todos os pagamentos realizados em 2016. Para cada R$ 10 pagos no ano, R$ 6 foram liberados na gestão de Marx Beltrão.

No cenário internacional, o ministro participou de importantes eventos do setor como o 21º Meeting Internacional do Grupo Lide, em Buenos Aires, Argentina. Na ocasião, o ministro ressaltou que o país esteve em evidência no cenário mundial por conta dos megaeventos realizados nos últimos anos e o turismo saiu fortalecido como alavanca do desenvolvimento econômico do país. Em dezembro, o ministro participou da World Travel Market (WTM), em Londres, Inglaterra, para divulgar o país como destino no cenário pós-Jogos Olímpicos e fortalecer parcerias estratégicas para o setor.

“Acredito que em pouco tempo tivemos importantes vitórias para o turismo brasileiro, mas precisamos avançar mais e garantir que o Turismo seja reconhecido como um importante segmento econômico e fundamental no desenvolvimento de riquezas para o país. E é pensando nisso, que estamos trabalhando uma pauta extensa para o ano”, afirma o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

O ministro tem trabalhado também na defesa de ampliação para dois anos, em período de testes, a flexibilização de vistos para turistas americanos, canadenses, japoneses e australianos. Paralelamente a esse trabalho, a necessidade de aumento do recurso destinado a promoção do Brasil internamente e externamente também vem sendo discutida. A Pasta também tem investido em qualificação para atração de mais turistas, tanto que lançou na última segunda-feira (09), o Programa de Qualificação Internacional em Turismo e Hospitalidade que selecionará 120 alunos de cursos técnicos e de graduação de instituições públicas para um treinamento de até três meses no Reino Unido. O MTur investirá R$ 5 milhões no programa.

Considerado o número um do mundo em atrativos naturais, segundo o Fórum Econômico Mundial, o Brasil ainda explora pouco esse potencial turístico. Os parques nacionais recebem 7,1 milhões de visitantes por ano, movimentando US$ 16 milhões, enquanto os EUA, terceiro colocado neste quesito, recebem 307 milhões de pessoas e faturam US$ 17 bilhões. Para mudar esse cenário, o MTur tem discutido juntamente com o Ministério do Meio Ambiente, a abertura das unidades de conservação para a iniciativa privada, como uma solução para melhor aproveitar os parques e movimentar o turismo nacional.

Para o primeiro semestre de 2017, o ministro trabalha para o desenvolvimento de um pacote de medidas para desburocratizar o setor e, consequente, atrair mais turistas e gerar mais empregos e renda para o país. Outra importante medida é garantir um aumento do orçamento destinado à Pasta. “Para o orçamento de 2017, também já conseguimos o compromisso do governo em ampliar os recursos para conseguirmos investir mais”, conclui.
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia