Adeus a Mario Soares o primeiro Presidente "de todos os portugueses"


Morreu ontem (7),no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, aos 92 anos, o ex- primeiro-ministro e ex-Presidente de Portugal, Mário Soares, que estava internado,em coma profundo, desde o dia 13 de dezembro último.
Nascido em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares, foi o segundo filho do antigo sacerdote e Ministro das Colônias Portuguesas, João Lopes Soares. e da professora primária Elisa Nobre Baptista.
Licenciado em Letras e em Direito, Mario Soares foi grande defensor dos presos políticos portugueses. 
Preso 12 vezes, cumprindo um total de cerca de três anos de cadeia, foi deportado sem julgamento para a ilha de São Tomé, em 1968, até o governo de Marcello Caetano lhe permitir o exílio em França, em 1970.
Co-fundador do Partido Socialista de Portugal foi Presidente da República durante dois mandatos, entre 1986 e 1996.
Sua mulher Maria Barroso, morreu em 7 de julho de 2015 no mesmo hospital em que agora faleceu. Deixa filhos  João Barroso Soares e Isabel Barroso Soares, e netos.
Segunda-feira, dia 9, na  da parte da manhã será realizado um velório privado em casa de Mário Soares, no Campo Grande, e de onde sairá, por volta das 11h00, o cortejo fúnebre com destino ao Mosteiro dos Jerônimos.
À porta do Mosteiro vai estar o Presidente da República e o Presidente da Assembleia da República. O primeiro-ministro, que está na Índia em visita de Estado, acompanha a cerimonia por videoconferência. 
Até terça-feira pela manhã  acontecerá o velório público. O corpo vai estar em câmara ardente na chamada Sala dos Azulejos do Mosteiro do Jerônimos, o antigo refeitório dos monges.
Às 13h00 de terça-feira, o caixão vai ser colocado nos claustros do Mosteiro dos Jerônimos, onde Mário Soares assinou o tratado de Adesão à Europa. A urna será transportada por militares das Forças Armadas ao som do Coro e Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, onde haverá uma sessão de homenagem ao antigo Presidente da República.
Esta sessão começa ao som da voz do próprio Mário Soares, seguida de uma intervenção do filho João Soares, depois uma gravação da voz de Maria Barroso seguida de uma intervenção da filha Isabel Soares.
Dos Jerônimos o funeral segue para o cemitério dos Prazeres, com parada em frente ao Palácio de Belém onde Soares esteve durante dois mandatos. Em frente à Assembleia da República e da sede da Fundação Mário Soares haverá uma parada.  O mesmo acontece em frente da sede do Partido Socialista, no Largo do Rato. Depois o cortejo segue para o Cemitério dos Prazeres, sua última morada.

Compartilhe on Google Plus

Escrito por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia