Brasil vai sediar a 20ª Conferência Internacional sobre Computação na Engenharia e Construção Civil em 2020

                São Paulo (Foto: Divulgação)

O Brasil foi escolhido para sediar a 20ª ICCCBE - Conferência Internacional sobre Computação na Engenharia e Construção Civil em 2020. O resultado foi divulgado em Osaka, no Japão, e a candidatura do Brasil contou com apoio da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) em parceria com São Paulo Convention & Visitors Bureau. Por 12 votos contra três para Cidade do Cabo (África do Sul), a capital paulistana conquistou o processo de seleção e receberá 500 participantes, entre engenheiros, arquitetos e acadêmicos estrangeiros, para trocar experiências, pesquisas e questões técnicas relacionadas à área.

“A expectativa da Embratur é que o impacto econômico gerado com a vinda desse evento seja superior a R$ 3 milhões”, informou o paraibano Gilson Lira, diretor do Instituto. De acordo com dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ao se calcular o ingresso de 500 participantes que permanecerão no País por uma média de 7 noites, com o gasto médio diário de U$ 329,39, o resultado será de U$ 1.152.865,00.

Lira destaca que a captação e promoção de eventos internacionais do segmento MICE (Meetings, Incentives, Congress & Events) integra as ações estratégicas da Embratur para atrair o Turismo de Negócios e Eventos, o segundo que mais contribui no fluxo internacional de visitantes para o País, após o de Lazer. 

A política de apoio da Embratur, criada em 2004, incentiva iniciativas de candidaturas de cidades brasileiras em eventos internacionais. O Brasil tem obtido posição de relevância na realização de eventos internacionais associativos, com colocação entre os principais países no mundo que mais sediam iniciativas com esse perfil, sendo o primeiro da América Latina nessa condição, de acordo com a International Congress and Convention Association (ICCA).

São Paulo é uma das cidades brasileiras que mais se utiliza dessa política, sendo grande parceira na captação de eventos internacionais, além de contribuir para manter o Brasil em posição de destaque nos rankings internacionais de eventos. “Temos atuado fortemente nesse segmento, que tem gerando excelentes resultados, favorecendo a indústria de eventos e, consequentemente, beneficiando todo o País, além de posicionar o Brasil globalmente”, conclui o diretor da Embratur.


Estudos realizados pelo Ministério do Turismo mostram o segmento MICE como o segundo maior fator de atração de visitantes estrangeiros para o Brasil. Estima-se que cerca de 25,3% dos turistas que procuram o País o fazem motivados por negócios.
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia