O Retrato de Dorian Gray não censurado é a atração do Petit Palais de Paris até janeiro



A vida do escritor Oscar Wilde que nasceu em Dublin, na Irlanda em 1854 e morreu em Paris no dia 30 de novembro de 1900, aos 46 anos é a atração da mostra " Oscar Wilde, o impertinente absoluto", no Petit Palais em Paris. 

A proposta é mostrar toda a carreira do dandy irlandês que começou como crítico de arte passando por suas peças teatrais e obras literárias, além de sua vida amorosa atribulada que, inclusive, o levou à prisão por dois anos com trabalhos forçados.

O Petit Palais  apresenta em sete seções cerca de 200 fotos, caricaturas, manuscritos, telas e outros objetos em referência ao escritor. Entre eles a não censurada edição francesa de O Retrato de Dorian Gray.

“Posso resistir a tudo, menos às tentações.”

Esta é uma das frases  mais conhecidas, geniais, irônicas e provocantes do crítico de arte, dramaturgo, romancista e poeta irlandês. 

Apesar de ter morrido em Paris, em 1900, e estar enterrado no cemitério de Père Lachaise, a França nunca o havia homenageado à altura; afinal, Wilde falava francês perfeitamente e era um admirador incondicional da cultura do país. 

                               Monumento no túmulo de Oscar Wilde no Père Lachaise em Paris
                                                               Foto: divulgação



O túmulo do escritor, tombado como patrimônio histórico da França é um dos mais visitados no Père Lachaise, e agora renovado, ganhou uma tela de vidro que o protege dos beijos dos admiradores, garantindo sua conservação. 

As marcas de batom estavam deteriorando a estátua de pedra concebida pelo escultor americano Jacob Epstein em 1960, e que representa um anjo em pleno voo.



Outro destaque da exposição é a coleção de 20 fotos, portraits, do escritor posando como um Dandy e realizada nos Estados Unidos pelo fotógrafo Napoleon Sarony em 1882, logo após WIlde desembarcar no país.

Ele pousou com meias de seda, calça curta, terno de veludo, casaco de pele, os longos cabelos penteados (FOTO) e essa imagem contribuiu para a fama imediata do escritor que recebeu inúmeros convites para conferências.

Outro local em Paris muito relacionado com Oscar Wilde é a suite do ´L´Hôtel na Rua das Belas Artes (Rue des Beaux -Arts), onde ele passou sua ultima noite em Paris, no dia 30 de novembro de 1900.

A exposição" Oscar Wilde, o Impertinente absoluto" que foi uma proposta do próprio neto do escritor Merlin Holland, pode ser vista até 15 de janeiro de 2017, no museu Petit Palais, (Av. Winston Churchill, 8) em Paris. O Museu fecha às segundas.
Abaixo dos quadros há sempre uma citação de Oscar Wilde e uma das que mais me comove é: “Nunca deixe de perdoar seus inimigos, nada os aborrece tanto”
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Rogerio Almeida

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia