Bahia precisa construir novas marinas para abrigar embarcações


Congresso promovido pela Prefeitura de Salvador, nesta quinta-feira, 24, discutiu a economia náutica da Baia de Todos-os-Santos.

Anualmente são comercializados, na Bahia, mais de 430 novas embarcações. Isso significa que o Estado vai precisar construir novas marinas para abrigar esses equipamentos. Se estima que, nos próximos cinco anos, exista uma carência de pelo menos 3 vagas em seco. Os dados fazem parte de um estudo sobre o plano estratégico para a economia náutica na Bahia, elaborado pela Oceanus Náutica e que foi apresentado durante o I Congresso Brasileiro para o Desenvolvimento da Economia Náutica, realizado nesta quinta-feira, 24, no Yatch Clube da Bahia, em Salvador. O estudo detectou 19 programas e 47 projetos públicos e privados para implantação no Estado. A construção de novas marinas.

O Congresso, o primeiro nesse perfil realizado na Bahia, discutiu três princípios básicos para o desenvolvimento do segmento: o ordenamento legal, que culminou com a criação do Comité Náutico, representado por diversos segmentos; o desenvolvimento de projetos e programas de infraestrutura, e o resgate da condição de Salvador como espaço estratégico para a realização de regatas nacionais e internacionais. “A Bahia já chegou a receber 31 eventos náuticos internacionais, gerando uma receita de mais de US$ 8,5 milhões. Este é o público que nos interessa”, frisou Raimundo Zacarias, da Oceanus Náutica.

Promovido pela Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) e da Empresa Salvador Turismo (Saltur), o congresso contou com a participação de especialistas espanhóis. O diretor da Asmar (Actuaciones y Servicios Maritimos), Victor Montero, destacou os avanços do segmento na Espanha, país que conta com cerca de 460 instalações náuticas e mais de 3,6 mil clubes náuticos, o que mostra a importância desse segmento na economia do país ibérico. “A Baia de Todos-os-Santos oferece um enorme potencial náutico, o que beneficia muito Salvador, cidade que é porta de entrada para a BTS”, destaca o secretário da Secult, Érico Mendonça.

O congresso abre ainda o II Festival Náutico de Salvador, a ser realizado também no Yacht Clube da Bahia com a participação de mais de 400 atletas de todo o país. Dentre as modalidades esportivas, que acontecem nos dias 26 e 27 de novembro, e 3 e 4 de dezembro, estão rally náutico, regata com sete modalidades de vela, e as travessias a nado Baia de Todos-os-Santos e a remo Mar Grande-Salvador. “Com estes eventos queremos fortalecer os esportes náuticos em Salvador, com a chancela do Yacht Clube da Bahia, entidade que tem mais de 80 anos de experiência na pratica dessas modalidades esportivas, sendo inclusive campão mundial de vela na classe snipe”, frisa o comodoro do clube, Marcelo Sacramento.
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Mario Pinho

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia