A importância da vistoria e no combate ao crime

Foto: Divulgação
Vistoriar o veículo antes de efetivar qualquer negócio é a garantia do sucesso


Um dos maiores problemas do Brasil é a falta de segurança, principalmente os roubos ou furtos de veículos automotivos. Somente no Estado de São Paulo o número de roubos teve um aumento de 5,51% em maio de 2016, comparado ao mesmo mês do ano passado, segundo informações da Secretaria de Segurança Publica do Estado de São Paulo.

Um grande número de veículos roubados tornam-se à primeira vista legais, e é através deste e outros golpes que o comprador acaba adquirindo um veículo frio sem se dar conta. Para não passar por esse tipo de situação, é indicado que o proprietário do veículo contrate uma empresa especializada em vistoria cautelar - serviço que além de prevenir a aquisição de um veículo com danos estruturais ou modificações em seus itens originais sem prévio conhecimento, também garante a procedência do automóvel. 

O serviço de vistoria cautelar é responsável por levantar um histórico do veículo, onde são analisados os itens de identificação como chassi, motor, etiquetas, plaquetas e datas comparativas. A procedência do veículo também é verificada através de uma pesquisa completa sobre débitos, restrições, queixas de roubo ou furto, leilão e sinistro. Todas estas informações são entregues para o proprietário do veículo por meio de um laudo técnico, cuja finalidade é auxiliar no fechamento de um bom negócio.

De acordo com Felipe Silva, responsável técnico da Super Visão Vistorias Automotivas, se não realizado o procedimento de vistoria, o retorno ao antigo proprietário se torna complicado, uma vez que o pagamento já tenha se efetivado. Assim sendo, por um valor relativamente baixo, é possível saber qual a situação real do veículo.

"Um veículo adulterado não seria aprovado em um laudo cautelar, portanto, dificultaria a negociação do mesmo. A tendência nesse caso é que o veículo seja levado para outra região onde não existam empresas de vistoria, para não correr o mesmo risco. Se o procedimento de vistoria cautelar fosse padronizado a comercialização de veículos adulterados se tornaria cada vez mais difícil, desestimulando a prática de irregularidades.", garante Silva.


Compartilhe on Google Plus

Escrito por Equipe Redação

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia