Vendas digitais do Magazine Luiza crescem 3% acima do mercado no primeiro trimestre


O Magazine Luiza, uma das maiores redes de varejo de móveis e eletroeletrônicos do país, surpreendeu o mercado ao anunciar uma série de resultados financeiros positivos, relativos ao primeiro trimestre de 2016. Apesar do quadro econômico recessivo, as vendas brutas cresceram 3%, atingindo 2,7 bilhões de reais e o lucro foi de 5,8 milhões de reais.

Foco da estratégia da empresa para os próximos cinco anos, as vendas digitais foram o grande destaque do trimestre. O faturamento do e-commerce do Magazine Luiza – site e no aplicativo – aumentou 27,8%, o maior ritmo de crescimento dos últimos cinco trimestres. Com uma operação lucrativa, o e-commerce já representa 22,4% do faturamento total do Magazine Luiza. Com o bom desempenho, os canais digitais contribuíram para a estabilização das vendas, quando comparadas as mesmas lojas, nos primeiros três meses de 2015. 

Vários de nossos indicadores operacionais no e-commerce melhoraram significativamente”, diz Eduardo Galanternick, diretor-executivo de e-commerce do Magazine Luiza. “Graças a nosso sistema de recomendação, acertamos mais a oferta de produtos com base no perfil de cada cliente. Também melhoramos a gama de produtos oferecidos e as variáveis comerciais, como frete, preço e condições de pagamento.

O aplicativo de vendas para smartphone -- desenvolvido no Luizalabs, o laboratório de desenvolvimento e inovação da companhia, e lançado no final do ano passado -- superou os 2 milhões de downloads e vem ajudando a aumentar o índice de conversão de vendas nos meios eletrônicos.

Os investimentos em tecnologia cresceram 26% em relação ao primeiro trimestre de 2015. Entre janeiro e março deste ano, foram aportados 11,2 milhões de reais. Ao mesmo tempo em que aposta no site e nas vendas via aplicativo, o Magazine Luiza vem digitalizando suas lojas convencionais. 

No final do primeiro trimestre deste ano, os vendedores de 183 dos 671 pontos de venda físicos da rede estavam integrados ao projeto Mobile Vendas. Treinados e equipados com smartphones, esses profissionais reduzem o tempo médio de venda de 40 minutos para 5 minutos, aumentando a produtividade da operação e melhorando a experiência dos clientes.
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Equipe Redação

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia