Profissionais pró-ativos têm mais chances de conseguir um emprego



Empresa de gestão de carreiras e recolocação de profissionais no mercado explica quais as características que chamam a atenção dos recrutadores 

O Brasil passa por um momento delicado na esfera econômica e política. O número de desempregados no país atualmente passados 10 milhões, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, é em momentos de crise que é importante avaliar as oportunidades e desenvolver-se adequadamente para aproveitá-las ao máximo.

A Outliers Careers, uma empresa paulista associada ao Instituto Profissional de Coaching, é dirigida pela Master Coach Madalena Feliciano e está no Top of Mind RH 2016. Entre outras atividades, orienta profissionais para voltarem a atuar e redimensiona a carreira de quem está empregado, mas quer atualizar-se para novos voos. Com mais de 20 anos no mercado, a coach dá dicas de como aproveitar as oportunidades de trabalho disponíveis, mesmo em momentos de crise.

Segundo a Master Coach, os candidatos mais pró-ativos, ou seja, que demonstram interesse em aprender coisas novas e desempenhar funções diferentes, são o que se destacam na entrevista de emprego. De acordo com ela, esses profissionais são chamados de Outliers, ou seja, pessoas “fora da curva”, “fora da média”, os que sempre tiveram preferência no mercado. “Dentro de uma empresa, na verdade, não existem características emocionais ideais. O que existe são pessoas adaptáveis, interessadas, entusiasmadas pelo que fazem. Profissionais que fazem a diferença através de uma pró-atividade autêntica, um constante trabalho de atualização de suas expertises e sua habilidade emocional em constante desenvolvimento”, indica a coach.

Algumas pessoas têm mais dificuldade em perceber que o mercado carece de profissionais de atitude e permanecem em inércia. Geralmente, esses profissionais tendem a serem preteridos ou substituídos por aqueles que se destacam.

Para a coach, a habilidade comportamental mais importante para o profissional é a empatia, a capacidade de se colocar no lugar do outro. “Empatia, em linhas gerais, é a capacidade de um indivíduo aprender comportamentos ao seu redor e agir do modo mais adequado em relação ao que percebeu. É a capacidade de compreender o que está em seu redor no que se refere a pessoas, e adaptar seu próprio comportamento de acordo com aquilo que é exigido naquele dado momento. Isto não é uma habilidade inata para grande parte das pessoas. Precisamos desenvolvê-la para interagirmos melhor”, diz.

Sendo assim, o coaching serve como uma ferramenta de autoconhecimento, que gera melhores resultados em um período de tempo menor. “Sugerimos o Coaching em virtude dos resultados já mensurados nos últimos 20 anos no mundo inteiro, os quais apontam o imenso sucesso produzido em um período relativamente curto de tempo. Isto em comparação com outras metodologias. Mas é claro que existem outros modos de desenvolvimento interpessoal e todos são igualmente válidos. O importante é que o profissional, antes de mais nada, perceba a importância de conhecer a si mesmo para alavancar sua performance, tanto nos processos seletivos como na organização em que já estiver atuando”, pontua.

A pró-atividade, dessa maneira, tende a garantir melhores possibilidades de emprego e, em alguns casos, promoção no ambiente de trabalho, elevando o cargo do profissional. De acordo com a Master Coach, a zona de conforto faz com que, muitas vezes, o profissional não invista no seu próprio conhecimento e deixe de lado as chances de desempenhar melhor o que faz. “O trabalho da Outliers Careers é justamente preparar profissionais para uma melhor performance pessoal, que o possibilite demonstrar com clareza suas expertises no mercado de trabalho”, conclui.
Compartilhe on Google Plus

Escrito por Equipe Redação

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia