Petrobras deixa ranking de empresas mais valiosas da indústria química


A indústria química, que envolve a produção de produtos químicos industriais como petroquímica e agroquímica, foi colocada a prova mais vez pela consultoria 100% nacional DOM Strategy Partners com o objetivo de avaliar às suas performances nos ativos tangíveis e intangíveis, selecionados como direcionadores de geração e/ou proteção de valor pelas empresas. 

Em sua terceira edição o ranking Mais Valor Produzido (MVP) – Agro/Química e Petroquímica 2016, foi criado pela DOM com o intuito de mostrar ao mercado a capacidade das empresas destes setores em gerarem e protegere valor não apenas para si, mas também para seus clientes, consumidores, acionistas, funcionários e sociedade.

A DOM ouviu as maiores empresas do segmento, após recortes dos anuários da Exame e Valor 1000, e mensurou ativos como Eficácia da Estratégia Corporativa, Resultados Gerados, Crescimento Evolutivo, Valor das Marcas, Qualidade de Relacionamento com Clientes, Governança Corporativa, Sustentabilidade, Gestão de Talentos, Cultura Corporativa, Inovação, Conhecimento, Grau de Transformação e Uso das Tecnologias Digitais, dentre outros.

Medido de 0 a 10, a liderança deste ano continua com a Basf, que atingiu a mesma nota do ano passado, que é de 8,19. A Raízen sobe uma casa em relação a 2015 e tira o lugar ocupado pela Braskem, ficando na segunda posição com a pontuação de 8,16. A 3M estreia no ranking com a nota 8,11. Quarta colocada no ranking do ano passado, a DOW mantém a mesma posição e a mesma nota de 7,91. A novidade fica por conta da Bunge que entrou no lugar da Petrobras, líder no primeiro ranking em 2014, com a nota 7,88.

A resposta sobre capacidade de cada empresa gerar e proteger valor para si e para esses públicos foi feita a partir da quantificação das quatro dimensões que definem o Valor Corporativo de uma companhia: Resultados, Reputação (definida como Credibilidade/Imagem), Competitividade e Riscos.

A definição de valor varia de segmento para segmento. No caso da indústria química, inovação e sustentabilidade nortearam os resultados do ranking neste ano.”, explica Daniel Domeneghetti, autor da pesquisa e CEO da Dom Strategy Partners.

Veja o quadro comparativo da pontuação deste ano com o ranking 2015.

Agro, Química e Petroquímica 2016
Nota
BASF 
 8,19
Raizen   
 8,16
3M
 8,11
DOW
 7,91
Bunge
 7,88



Agro, Química e Petroquímica  2015
                                        Nota
BASF
8,19
Braskem
8,16
Raizen
8,01
DOW
7,91
Petrobras
7,88





Compartilhe on Google Plus

Escrito por Equipe Redação

0 comentários:

Postar um comentário

Adicione seu comentário sobre a notícia